Filha de Eduardo Cunha pede inelegibilidade de Dilma

Filha de Eduardo Cunha pede inelegibilidade de Dilma

Andreza Matais

20 Agosto 2018 | 16h17

Foto: André Dusek/Estadão

A filha do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha ingressou no Tribunal Regional Eleitoral de Minas nesta segunda-feira com pedido para barrar a candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) ao Senado Federal. Ela alega que Dilma está inelegível por ter sofrido um processo de impeachment.

“A candidata ao Senado Dilma Rousseff está absolutamente inabilitada para concorrer a qualquer cargo eletivo, por força da consequência natural e indissociável da sua condenação por crime de responsabilidade em sessão realizada em 31/08/2016”, diz Danielle Cunha, que é candidata a deputada federal pelo MDB.

Danielle diz, ainda, no documento que “requer o indeferimento do presente registro de candidatura, tendo em vista que a Sra. Dilma Rousseff não possui capacidade eleitoral passiva, em razão de sua inabilitação temporária para o exercício de qualquer cargo ou função pública que decorre de sua condenação por crime de responsabilidade”.

O ex-deputado está preso pela Lava Jato. Como presidente da Câmara, Cunha aceitou a denúncia apresentada contra a petista, permitindo que o processo que levou ao impeachment de Dilma tramitasse no Congresso. A denúncia foi apresentada pelos juristas Janaina Paschoal, Miguel Reale Júnior e Helio Bicudo.

(Andreza Matais)