Ficção e realidade na estratégia ‘Lula Livre’

Ficção e realidade na estratégia ‘Lula Livre’

Coluna do Estadão

24 de abril de 2019 | 05h00

Ex-presidente Lula, preso desde abril de 2018. FOTO: SERGIO CASTRO/ESTADÃO

Em mais uma narrativa petista, que será repisada por dirigentes partidários, militantes e demais políticos simpáticos a Lula, o PT insistirá na cantilena de que o ex-presidente está alheio, quase desatento, ao jogo (pesado) dos recursos judiciais e rechaça benefícios de uma prisão mais branda. Nessa ficção, Lula só aceita sair do cárcere se for considerado inocente ou se tiver um “julgamento justo”. Na vida real, porém, a ofensiva jurídica e política sobre os tribunais, especialmente o Supremo, será redobrada com a meia vitória do petista ontem no STJ.

Cabo. No horizonte distante dessa narrativa, está o famoso “julgamento da história”. No curto e médio prazos, a vitimização eterna de Lula ainda é o grande capital político do PT.

Disputa… Os partidos começaram a escolher quem vai integrar a Comissão Especial da Previdência. O Cidadania indicará os deputados Alex Manente (SP) como titular e Arnaldo Jardim (SP) como suplente.

…acirrada. Rodrigo Maia já avisou que não vai alijar os partidos menores das vagas na comissão. A ver.

Bônus e ônus. Muitos deputados sonham com a relatoria da Comissão Especial. Outros, apesar de governistas, querem manter uma enorme distância dela.

CLICK. Apesar de não ser integrante, Eduardo Bolsonaro acompanhou o debate sobre a reforma da Previdência na CCJ ao lado do líder do governo, major Vitor Hugo.

Juliana Braga

Reforço… Com a defesa da manutenção das regras para aposentadoria rural, ganha corpo o grupo favorável a delegar aos sindicatos de trabalhadores a declaração de tempo de serviço.

…de caixa. Seria uma forma de dar um respiro aos sindicatos depois da queda da contribuição obrigatória. Para evitar fraudes, o deputado Hildo Rocha apresentou emenda à MP 871 criminalizando quem adulterar as informações.

Ligado. Não passaram batidas para quem conhece bem Jair Bolsonaro as referências dele a SP em discurso recente no Comando Militar do Sudeste. O presidente foi orientado a dar mais atenção ao Estado: João Doria deve cada vez mais seguir agenda própria.

Paulista. “É com muita satisfação e honra que retorno ao Estado ao qual quase tudo devo. Nasci na distante Glicério, fui registrado em Campinas e criado no Vale do Ribeira”, disse Bolsonaro, que fez carreira política no Rio de Janeiro.

Encontro. Depois de participar do Fórum dos Governadores e de uma reunião com Jair Bolsonaro, João Doria esteve ontem com o ex-presidente e cacique emedebista José Sarney.

SINAIS PARTICULARES.

José Sarney, ex-presidente da República

Kleber Sales

Igualdade… As bancadas femininas do PSDB no Congresso estão se organizando para comparecer em peso hoje à reunião da Executiva Nacional. Sonham alto: querem a presidência, secretaria-geral ou, no mínimo, o comando do Instituto Teotônio Vilela.

…de gênero. Em carta, a deputada federal Tereza Nelma (AL) disse que a presença das mulheres tucanas seria importante para exigir não apenas a cota de 30% na Executiva, mas uma representatividade à altura dos 60% atingidos por elas na mais recente eleição.

Inversão. O ministro da AGU, André Mendonça, quer alterar a proporção entre advogados públicos e servidores técnicos, hoje de 7 para 1. A ideia é repor os advogados que se aposentarem ou saírem por profissionais com salários menores.

PRONTO, FALEI!

Eduardo Cury/Arquivo pessoal

Eduardo Cury, deputado federal (PSDB-SP): “Os dados são importantes, mas não havia necessidade agora. Além do mais, não precisa deles pra saber que a Previdência é deficitária”, sobre sigilo dos cálculos da reforma da aposentadoria. 

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: