‘Ferocidade do vírus pegou todos de surpresa’, diz embaixador da Índia

‘Ferocidade do vírus pegou todos de surpresa’, diz embaixador da Índia

Coluna do Estadão

29 de abril de 2021 | 05h00

Governo de SP

O embaixador da Índia no Brasil, Suresh Reddy, afirmou à Coluna acreditar que o aumento no número de casos de covid-19 no seu país se deve, entre outros fatores, a uma mudança de comportamento da população e fez um alerta sobre a fúria do novo coronavírus. “Estávamos preparados, mas a ferocidade do vírus pegou todos de surpresa”, disse. A Índia enfrenta uma segunda onda brutal na pandemia. Segundo ele, indianos abriram mão dos cuidados básicos, como usar máscaras e evitar aglomerações. Nada muito diferente do verificado aqui.

02. Diante da “surpresa”, o embaixador diz que o governo de seu país “tomou as medidas necessárias para a situação, incluindo aumentar a disponibilidade de oxigênio nos hospitais”.

Ufa! Sobre as vacinas, o embaixador reconheceu que a situação é delicada, mas afirmou que as exportações, por ora, não estão proibidas na Índia, que já vendeu mais de 66 milhões de doses para mais de 90 países, incluindo o Brasil.

Tomara. “Acho que as doses chegarão em breve”, disse Reddy, citando o envio de insumos dos EUA para farmacêutica indiana que ajudará a aumentar a produção de doses. O Brasil ainda espera o envio de oito milhões de imunizantes da AstraZeneca da Índia.

Proposta. O embaixador defendeu a renúncia temporária de direitos de propriedade intelectual para vacinas, medicamentos e tecnologia, proposta foi apresentada pela Índia e pela África do Sul à OMC.

Mãozinha. “Vai garantir que direitos de propriedade intelectual não restrinjam aumento na produção e não impeçam o acesso justo e a um preço acessível de vacinas, medicamentos e outros bens necessários para lidar com a pandemia”, afirmou Reddy, pedindo apoio do Brasil à causa.

Na paz. Depois da trapalhada de Paulo Guedes com os chineses, prefeitos tentam entrar em campo para apaziguar os ânimos. Liderado por João Campos (Recife), o Conectar, consórcio de municípios pela compra de vacinas, terá reunião com o embaixador chinês no País, Yang Wanming.

SINAIS PARTICULARES.

Paulo Guedes, ministro da Economia

Kleber Salles

Retranca. Paulo Guedes citou esquemas táticos de futebol para explicar as mudanças na Economia. Um aliado do ministro na CPI da Covid tomou o pulso de seus colegas e aproveitou para lançar um alerta: é melhor o treinador fechar a casinha do time na defesa.

Audiência… O início da CPI da Covid foi o assunto mais debatido em redes sociais na terça-feira, 27. Foram 2,03 milhões de publicações no Twitter e em perfis abertos do Facebook.

…alta. A discussão foi conduzida pelos públicos alinhados ao campo da direita, que mobilizaram 60% das postagens. Os dados são da MAP, agência de análise e inteligência em dados.

Direita… A militância bolsonarista tentou blindar o presidente, mencionado em 25% das publicações. Rodrigo Pacheco foi o principal alvo desse grupo, seguido por Renan e Ricardo Lewandowski, todos com 100% de menções negativas.

…mobilizada. Os públicos da esquerda (influenciadores, políticos, partidos e opinião pública) não se mobilizaram e responderam por 11% das manifestações.

Bola rolando. “Há um ativismo da direita para dar suporte a Bolsonaro. A esquerda está se mobilizando para aparecer no momento certo”, afirma Heron do Carmo, consultor da MAP.

CLICK. Antonio Rueda (à dir.), vice-presidente do PSL, recebeu em sua casa o cantor sertanejo Gusttavo Lima (centro), e um grupo de políticos, como Dudu da Fonte.

Reprodução/Instagram

PRONTO, FALEI!

Flávio Dino, governador do Maranhão (PCdoB), autor da ação no STF: “Cancelar o Censo geraria um apagão estatístico. É uma vitória do estado democrático de direito”, sobre decisão do Supremo de manter a realização do Censo neste ano.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E MARIANNA HOLANDA.

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.