Fenafisco quer discussão sobre taxar grandes fortunas com presidenciáveis

Fenafisco quer discussão sobre taxar grandes fortunas com presidenciáveis

Camila Turtelli e Matheus Lara

24 de janeiro de 2022 | 05h00

Charles Alcantara, presidente da Fenafisco. Foto: Divulgação

A Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco) vai aproveitar o calor do debate eleitoral para retomar a discussão sempre polêmica sobre taxação de grandes fortunas. A entidade buscará os pré-candidatos a presidente para tratar do assunto e fará rodadas de conversas com parlamentares já no início dos trabalhos do Legislativo para que o imposto diferenciado aos mais ricos seja colocado em discussão na reforma tributária. O tema ficou em alta na semana passada após um grupo de milionários e bilionários divulgar no Fórum Econômico Mundial uma carta pedindo a governos que cobrassem deles mais impostos. Nenhum empresário brasileiro assinou a carta.

AVALIAÇÃO. “As discussões (sobre a reforma tributária) no Congresso ainda estão focadas nos tributos sobre consumo. Precisamos discutir a tributação sobre patrimônio e altas rendas para que o Brasil passe a ter um sistema tributário progressivo”, disse à Coluna Charles Alcantara, presidente da Fenafisco.

COMPARAÇÃO. A proposta que será levada a parlamentares e presidenciáveis é inspirada nos países da OCDE, segundo a Fenafisco: subir a média de tributação sobre renda e patrimônio para 40%. O patamar atual no País é de 23%.

CONVERSAS. O maior desafio, reconhece a Fenafisco, será fazer avançar o debate no ano eleitoral. Ainda que o assunto tenha mais apelo entre os grupos políticos ligados à oposição, a entidade já abriu rodadas de conversas com partidos de centro e de centro-direita.

CLICK. Ronaldo Caiado, governador de Goiás (DEM)

Internado para o tratamento de uma infecção prostática, governador compartilhou momento com a filha Marcela. “Será que estou sendo mimado?”

INTERNACIONAL. O deputado Marcel van Hattem (Novo-RS) participa do Antigua Fórum, na Guatemala, a convite do Instituto Acton. O evento reúne participantes de 61 países e é organizado pela Universidad Francisco Marroquín. Ele garante que não haverá gastos para a Câmara.

INTERNACIONAL 2. Luísa Canziani (PTB-PR) participa hoje do International Education Day, organizado pelo Grupo de Jovens Parlamentares da ONU. Luísa é a primeira brasileira a integrar o grupo, que é formado pelos mais jovens parlamentares do mundo.

AOS POUCOS. O deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP), relator do Refis do Simples, comemorou a prorrogação do prazo para regularização fiscal das empresas do Simples para 31 de março. Ele avalia que terá tempo hábil para derrubar o veto ao Refis, em fevereiro.

COLA? Aliados de Bolsonaro tentam emplacar a narrativa de que as falas de Waldyr Ferraz, o Jacaré, sobre rachadinhas, foram distorcidas e que não há nenhum rancor em relação ao ex-assessor que pode se lançar a vaga para a Câmara.

VIXE. Bolsonaro chegou a ligar para Jacaré após a repercussão de suas falas à revista Veja, em que atribui a prática de rachadinha nos gabinetes da família a Ana Valle, ex-mulher do presidente.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Waldyr Ferraz, ex-assessor de Jair Bolsonaro

PRONTO, FALEI! Marcelo Ramos, vice-presidente da Câmara

“Sabotar a vacina? Fico pensando se é estupidez ou maldade. É uma atitude intolerável. Em qualquer das hipóteses, precisa de providências judiciais e políticas.”

ALBERTO BOMBIG ESTÁ DE FÉRIAS E RETORNA  À ‘COLUNA DO ESTADÃO’ NO DIA 16 DE FEVEREIRO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.