Fachin estuda pedir para Cármen Lúcia enviar à Câmara denúncia contra Temer

Andreza Matais

27 de junho de 2017 | 15h17

Ilustração: Kleber Sales/Estadão

 

O ministro Edson Fachin, relator do caso Joesley, deve abrir mão de encaminhar ele próprio para a Câmara pedido de autorização para abertura de processo contra o presidente Michel Temer. A Coluna apurou que ele está inclinado a pedir para que a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, envie o processo para o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). Temer foi denunciado pela PGR por corrupção passiva.

Fachin ainda não decidiu se abrirá prazo para que a defesa do presidente Michel Temer se manifeste antes de a denúncia ser remetida para a Câmara.

Temer já se recusou a responder a questionamentos feitos pela Polícia Federal no inquérito que o investigou e apontou indícios de corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa. Antes de concluir o inquérito, a PF fez 82 perguntas para o presidente. Temer chegou a pedir (e conseguiu) mais prazo para respondê-las, mas ao final deixou todas em branco.