Ex-bolsonaristas de SP negociam formar chapa

Ex-bolsonaristas de SP negociam formar chapa

Coluna do Estadão

15 de janeiro de 2020 | 05h00

Foto: Reprodução/TV Alesp

Após ter se separado do clã Bolsonaro, o PSL está livre na pista e dá sinais de que fará a fila andar: em São Paulo, busca se aproximar do MBL. A convergência entre o partido e o movimento passa pelos deputados estaduais Arthur do Val (sem partido) e Janaína Paschoal (PSL), madrinha do affair. Ao menos por enquanto, Joice Hasselmann não abre mão de pleitear a candidatura à Prefeitura pelo PSL, o que obrigaria Do Val, o Mamãe Falei, a ser vice, hipótese rejeitada por ele. Resolver a equação é o desafio. Porém, não impossível, dizem envolvidos.

Vaga. O grupo que defende a candidatura a prefeito do deputado e youtuber do MBL quer convencer Joice Hasselmann a disputar o Senado em 2022. Interlocutores da deputada federal e ex-líder do governo sonham com Do Val como vice em sua chapa.

Vaga 2. E, claro, permanece ativa nos bastidores a turma que pretende levar Joice para o PSDB.

Logo mais. Do Val esteve recentemente com dirigentes do PSL e deve ter mais um encontro nesta semana. Prometeu aos demais partidos com quem conversa, Avante e Patriota, uma definição até sexta-feira.

Piso. Circula em grupos políticos pesquisa da Badra Comunicação em que Do Val aparece com 2% de intenção de votos, empatado tecnicamente com Joice Hasselmann e Andrea Matarazzo, do PSD.

CLICK. Candidato à reeleição no Rio, o prefeito Marcelo Crivella visitou o Palácio do Planalto. Ao chegar, se disse espantado com a grande quantidade de fotógrafos.

Foto: Gabriela Biló/Estadão

Baby steps. Petistas têm demonstrado crescente incômodo com a demora na definição de um candidato em SP. O primeiro debate das prévias está marcado para o início de fevereiro.

Risque meu nome. Nas rodas de conversa do PDT, Tabata Amaral é página virada. Pelo menos é o que deseja o partido de Ciro Gomes, que um dia alimentou o sonho de ver a deputada disputando a Prefeitura de São Paulo neste ano.

SINAIS PARTICULARES
Ciro Gomes, candidato à Presidência pelo PDT em 2018

Ilustração: Kleber Sales

Chapéu. Conhecido outrora por festas suntuosas de aniversário, o PT está fazendo vaquinha para comemorar seus 40 anos, entre 7 e 9 de fevereiro, no Rio. O evento terá shows de música, política e até barraquinhas de comidinhas. As doações começam a partir de R$ 25.

Spin off. O Projeto de Lei de Responsabilidade Previdenciária deverá ser finalmente apresentado no início de fevereiro pelo deputado Silvio Costa Filho (Republicanos-PE). O texto está sendo discutido também com o governo, por meio do secretário de Previdência, Leonardo Rolim.

Ok. O ministro Paulo Guedes e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já deram aval à tramitação da proposta. De acordo com Costa Filho, a Confederação Nacional dos Municípios também sinalizou positivamente.

Mostra a conta. O texto quer obrigar Estados e municípios a prestarem contas de seus gastos previdenciários anualmente, além de adotarem medidas para controlar os gastos nesta área.

Mapa. Damares Alves fechou parceria com cinco universidades federais, entre elas a UnB, para estudo de perfis socioeconômicos, geográficos, culturais e de vulnerabilidade de travestis e transexuais. O Ministério da Família também realizará encontros “focais” da população LGBT: cristãos, idosos e em situação de rua.

PRONTO, FALEI!

Foto: Luis Macedo/Agência Câmara

Daniel Coelho, deputado federal (PE), líder do Cidadania: “É inaceitável a espera que o cidadão enfrenta no nosso país. Aceitar o serviço atual como algo razoável é um desrespeito ao povo”, sobre as filas no INSS.

COM MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU RICARDO GALHARDO.

Coluna do Estadão
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

BolsonaroPSLMBLPSDPSDBPDT

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: