Eunício diz que põe caso Aécio para votar se tiver quórum de 41 senadores

Andreza Matais

17 de outubro de 2017 | 16h05

Foto: Dida Sampaio/Estadão

 

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), avisou a interlocutores que adia a sessão que pode definir o futuro do senador Aécio Neves (PSDB-MG) apenas se o quórum do plenário for menor do que 41 senadores. O grupo ligado ao senador tucano pressiona pelo adiamento da votação temendo que a ausência de senadores prejudique um placar favorável ao tucano. Vários senadores participam de missões oficiais em outros países.

Eunício resiste, contudo, em adiar a votação que pode devolver o não o mandato de Aécio, além de rever o recolhimento noturno imposto a ele pelo Supremo.

LEIA MAIS: ‘Quem não for vai tomar falta’, dizem interlocutores de Eunício sobre caso Aécio

No entendimento de pessoas próximas ao presidente do Senado, o adiamento da sessão será interpretado como manobra dele para garantir votos a favor de Aécio. Segundo interlocutores de Eunício, quem não estiver presente hoje “tomará falta”.

Aécio foi acusado pelo delator Joesley Batista de pedir dinheiro em troca de favores, como nomeações em cargos estratégicos para a JBS. O primo de Aécio foi filmado recebendo malas de dinheiro do executivo da JBS Ricardo Saud num total de R$ 2 milhões, mesmo dinheiro solicitado pelo tucano. O senador nega as acusações e diz que o dinheiro era um empréstimo. (Andreza Matais)

Tendências: