Estados se unem em busca de reforma fiscal

Estados se unem em busca de reforma fiscal

Coluna do Estadão

30 de outubro de 2020 | 05h00

Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

Após árdua batalha legislativa para aprovar sua reforma fiscal, o governo paulista está auxiliando o do Rio Grande do Sul na tentativa de cobrir um déficit orçamentário de R$ 8 bilhões. Convidado pela Comissão de Orçamento da Assembleia gaúcha, o secretário de Gestão de São Paulo, Mauro Ricardo, expôs em audiência virtual a reforma administrativa e tributária feita pelo governo João Doria. O centro da questão é a urgência de todos os Estados se prepararem para 2021. Ele não dourou pílula: “O remédio é amargo, mas os efeitos são imediatos”.

Juntos. Essa parceria é mais um indício de que os Estados estão correndo atrás para fazer reformas, mas sem contar com a ajuda do governo federal.

Anote aí. Mauro Ricardo disse que a receita básica do ajuste é enxugamento da máquina, realocação de dinheiro de onde sobra para onde falta, além do corte de benefícios fiscais.

Veja só. O Rio Grande do Sul é governado por Eduardo Leite, apontado como um dos presidenciáveis tucanos junto com Doria.

CLICK. Mauro Ricardo participou da audiência virtual com o deputado do RS Mateus Wesp (PSDB), relator do Orçamento, e com secretários do governo gaúcho.

Coluna do Estadão

Mato… O saldo final das idas e vindas do governo em torno do decreto que mirava a gestão das UBS mais uma vez demonstrou o intervencionismo de Jair Bolsonaro na Saúde e deixou o ministro Eduardo Pazuello com o mico na mão.

…no peito. Como não havia assinado o decreto, Pazuello tinha a opção de ficar quietinho, na miúda. Porém, mais uma fez preferiu adular Jair Bolsonaro e matar no peito a autoria da ideia da medida, mas com 24 horas de atraso…

Micou. Como mostrou a Coluna, a Saúde defendeu o decreto quando o presidente já havia desistido dele. Ficou feio, de novo.

SINAIS PARTICULARES. 
Eduardo Pazuello, ministro da Saúde

Ilustração: Kleber Sales

Me… O pedido de audiência pública do PTB ao STF, na ação em que o partido defende a inconstitucionalidade da vacinação obrigatória contra a covid-19, indeferido pelo relator Ricardo Lewandowski, foi protocola após o fim do expediente ontem, véspera de feriado desta sexta no Distrito Federal (Dia do Servidor).

…ajuda… Por causa do feriado, assume o plantonista. Nesse caso, o presidente da Corte, Luiz Fux.

…Fux. Como plantonista, Fux já revisou decisão de colegas. Recentemente, no caso do André do Rap, revogou a soltura do traficante.

Alerta. Uma audiência pública, nesta altura, poderia atrasar o julgamento para o ano que vem. Na decisão, o relator disse que pode reavaliar o pedido depois do recebimento de informações solicitadas à Presidência, AGU e PGR.

Uma ideia… Quem conhece Rodrigo Maia (DEM-RJ) diz que desceu tão quadrado o ataque desferido contra ele por Ricardo Salles que o presidente da Câmara acabou descontando a raiva em Roberto Campos Neto, presidente do BC.

…genial… Ou seja, enfurecido por ter sido atacado em rede social, Maia teria resolvido atacar o presidente do BC em… rede social!

…SQN. Maia escreveu que Campos Neto não estava à altura do cargo. Depois, baixou o tom. Os rompantes de Maia, porém, nunca revelam indignação com as quase 160 mil mortes por covid-19 no País e a tragédia federal na Saúde. Nesse caso, só nota protocolar.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Valéria Gonçalves/Estadão

Paulo Hartung, ex-governador do Espírito Santo: “Enquanto as autoridades de Brasília se desentendem por questões inúteis, a economia brasileira, o emprego e a renda flertam com o despenhadeiro.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. 

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: