Esperança para Bolsonaro rumo a 2022: ministério vê melhora nos níveis dos reservatórios

Esperança para Bolsonaro rumo a 2022: ministério vê melhora nos níveis dos reservatórios

Coluna do Estadão

08 de novembro de 2021 | 02h00

Na estrada das más notícias para Jair Bolsonaro rumo a 2022, surge ao menos uma luz no fim do túnel: cresce a cada dia a chance de o País não ter um “verão de apagões”. As chuvas da primavera têm feito a parte delas, claro, e o governo federal cita algumas medidas como sendo cruciais para o aumento da oferta de energia: o acionamento de mais termelétricas e o incentivo à redução do consumo dos brasileiros. Presidente da Frente Parlamentar de Energias Renováveis, Danilo Forte (PSDB-CE), crítico do uso das termelétricas, porém, aponta outros fatores para o alívio: “Os ventos do Nordeste afastaram os apagões e batemos dois recordes de geração de energia solar recentemente”.

RAZÕES. Segundo o Ministério de Minas e Energia, a redução voluntária de demanda por grandes consumidores, como a indústria de transformação, tem sido fundamental.

RAZÕES 2.“A melhora dos níveis dos reservatórios evidencia a assertividade de esforços do setor elétrico, que tem garantido, ao menor custo possível, a segurança e confiabilidade no fornecimento de energia elétrica e a preservação dos usos da água, mesmo em cenário adverso”, afirma a pasta.

CUSTO ALTO. Para Danilo Forte, a utilização de termelétricas movidas a gás e a carvão mineral, fontes de poluição atmosférica, é “um retrocesso”.

SINGING IN THE RAIN. Apesar da crítica, Forte reconhece os méritos de Bento Albuquerque: “O ministro também ajudou”.

SINAIS PARTICULARES, Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia

LIBERA. Raimundo Carreiro estava sentado desde setembro sobre pedido da área técnica do TCU para fazer inspeção no Planalto em processo que apura a falta de transparência e de critérios na liberação de emendas do relator-geral, base do “orçamento secreto”. O ministro pautou o tema para a próxima quarta-feira, 10.

LIBERA 2. Quando o TCU começou a investigar as pedaladas de Dilma Rousseff, pedido semelhante da área técnica foi autorizado em cinco dias pelo então relator, José Múcio Monteiro, em setembro de 2014.

CLICK. Deputada Luisa Canziani (PSD-PR) e seu pai, Alex Canziani, se filiaram ao PSD, em evento que contou com a participação do governador Ratinho Júnior e de Gilberto Kassab.

ALERTA. Em 2017, entidades, movimentos sociais, empresas e órgãos públicos redigiram, na Conferência dos Estados Partes da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU (nos EUA), carta aberta ao Itamaraty criticando a rara oferta de acessibilidade do evento.

ALERTA 2. O objetivo da carta era chamar o secretariado da conferência à responsabilidade, relembra a Escola de Gente, ONG referência em inclusão. Mas não houve resposta. Na semana passada, a ministra de Energia de Israel, Karine Elharrar, cadeirante, não conseguiu participar da COP-26 por falta de acessibilidade

VAI VENDO. A hashtag “CPI do Bolsolão” movimentou o Twitter no final de semana.

PRONTO, FALEI!
Creomar de Souza, cientista político

“O fato de um partido como o PSDB provavelmente terminar esse processo interno bastante rachado é indicativo da própria dificuldade em se formar um nome de terceira via. Sem esse nome e diante de um número amplo de possibilidades, o espaço do ‘nem-nem’ (nem Lula, nem Bolsonaro) não é ocupado.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.