Ernesto Araújo entra na mira da oposição na CPI da Covid

Ernesto Araújo entra na mira da oposição na CPI da Covid

Coluna do Estadão

15 de abril de 2021 | 05h00

Foto: Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

A oposição no Senado terá como prioridade na CPI da Covid o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e seus principais assessores, que parlamentares esperam convocar mais de uma vez para prestar esclarecimentos. Mas outro ex-ministro também entra na mira dos senadores: Ernesto Araújo. Querem do ex-chanceler uma explicação sobre a diplomacia da vacina sob seu comando. O Planalto esperava que a demissão deles ajudasse a arrefecer os ânimos, e agora busca uma maneira de postergar o início dos trabalhos e reduzir danos na comissão.

Culpado. “O ex-ministro de Relações Exteriores é um dos principais responsáveis pelas dificuldades que o Brasil tem hoje na obtenção de vacinas, pela política irresponsável que implementou, particularmente com a China”, disse Humberto Costa (PT-PE).

Lista. Também devem ser convocados o presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, e o ex-Secom Fábio Wajngarten, responsável pela campanha publicitária “O Brasil não pode parar”.

Bola de… Quem quiser uma dica de como devem ser as cobranças para cima de Pazuello na CPI é só ver o julgamento do TCU sobre a gestão da pandemia sob o comando do general.

…cristal. Ministros do tribunal apontaram omissões graves e senadores estão tomando notas.

Como era? Membros da CPI disseram à Coluna ser importante ouvir também os ex-ministros Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, para ter um testemunho da relação (ou intervenção) de Bolsonaro na pasta.

Cronograma. Os trabalhos da comissão devem começar na última semana de abril, o que trouxe alívio para assessores palacianos: ganham tempo para a chegada de vacinas. Este deve ser o mês com maior escassez de doses no País.

Tic-tac. Do senador Renan Calheiros (MDB-AL): “Quanto mais demoram para indicar integrantes e para dar início à CPI, mais os trabalhos se aproximarão do período eleitoral. E depois, ainda vão reclamar da gente”.

Vida real. O sonho de consumo do governo era Ciro Nogueira (PP-PI) na relatoria da CPI. Mas hoje é mais provável que o comando da comissão fique com a dobradinha Otto Alencar (PSD-BA) e Eduardo Braga (MDB-AM).

SINAIS PARTICULARES. 
Randolfe Rodrigues, senador (Rede-AP)

Ilustração: Kleber Sales

Bicado. A ameaça de Jair Bolsonaro de que poderia “sair na porrada” com Randolfe Rodrigues (Rede-AP) por causa da CPI da Covid rendeu ao senador uma série de ataques nas redes.

Alvo 1. De acordo com levantamento da consultoria Bites, nos últimos 12 meses, Randolfe foi mencionado em 284 mil publicações no Twitter, mas só na segunda-feira, 12, ele foi mencionado em 25 mil posts.

Alvo 2. Do total, 95% eram retuítes. O que, para a consultoria, poderia indicar um ataque coordenado. A maior parte das mensagens replicadas foram publicadas pelo ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), aliado de Bolsonaro. 

Copo meio cheio. Uma consequência, pelo menos, foi positiva para o senador. Em três dias (domingo, segunda-feira,12 e terça-feira, 13) ele ganhou 8 mil novos seguidores no Twitter, Instagram e Facebook, sendo que 5,8 mil o seguiram na segunda-feira. Seus posts sobre o caso alcançaram 133 mil interações, sua segunda melhor marca desde janeiro de 2019.

CLICK. Ativistas da rede Nossas com máscaras dos empresários Luciano Hang e Carlos Wizard em protesto contra o projeto de lei que dá permissão à iniciativa privada adquirir vacinas sem doá-las ao SUS. O grupo lançou a campanha “Camarote da vacina, não!” e tem dentre suas fundadoras a economista Alessandra Orofino e como conselheira, a linguista Branca Vianna. A campanha já enviou mais de 20 mil emails aos líderes partidários do Senado, onde a proposta deverá ser analisada.

Coluna do Estadão

Let’s… A Confederação Nacional da Indústria (CNI) lança hoje campanha para pressionar para que o acordo Mercosul-União Europeia saia do papel.

…go. Além de elaborar cartilha focada no desenvolvimento sustentável, a CNI deve promover reuniões com os setores público e privado da Europa. Para a CNI, o acordo é fundamental para a retomada da economia neste momento. A entidade pressiona o governo brasileiro para que continue atuando para implementar o acordo ainda em 2021.

Prepara. O RenovaBR abriu a última chamada para o curso de formação política, voltado para pessoas que querem se candidatar a deputado ou senador no ano que vem. As inscrições são gratuitas e vão até o dia 22 de abril.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação

Marcelo Ramos, vice-presidente da Câmara dos Deputados: “Eu não sei o que Bolsonaro quis dizer com ‘o país está no limite’. Mas os únicos limites que eu me disponho a discutir com ele neste momento, são o limite que o País está chegando de 350 mil famílias enlutadas pela covid-19, o limite de quase 4 mil mortos por dia, o limite de mais de 14 milhões de brasileiros desempregados e de 19 milhões de pessoas com fome.”

COM REPORTAGEM DE MARIANNA HOLANDA (INTERINA) E MARIANA HAUBERT. O COLUNISTA ALBERTO BOMBIG ESTÁ EM FÉRIAS E RETORNA DIA 19 DE ABRIL.

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.