Entrevista polêmica de Ciro foi para TV de aliado

Entrevista polêmica de Ciro foi para TV de aliado

Coluna do Estadão

26 Julho 2018 | 05h30

Ciro Gomes e Weverton Rocha FOTO: Site oficial da campanha

A polêmica entrevista na qual o presidenciável Ciro Gomes (PDT) fala em pôr a Justiça na ‘caixinha’ e sugere que, se eleito, pode soltar Lula da prisão foi dada para a TV Difusora, controlada hoje por um colega de partido do candidato. Em 2016, o deputado federal Weverton Rocha (PDT-MA) assinou um contrato de promessa de compra e venda da retransmissora do SBT no Maranhão. No Ministério das Comunicações, contudo, a retransmissora está registrada em nome de outro político: Lobão Filho, primeiro suplente do pai, o senador Edison Lobão (MDB).

Com a palavra. A assessoria de Weverton Rocha confirma o contrato de compra e venda da TV dos Lobão. E nega que ele tenha usado a concessão pública para beneficiar o candidato do seu partido. “O Ciro é presidenciável, o interesse por ele é natural. Não precisa de intermediação”, diz.

LEIA MAIS: Lula ‘só tem chance de sair da cadeia se a gente assumir o poder’, diz Ciro

Pegou fogo. A repercussão nacional da entrevista de Ciro irritou o candidato. Interlocutores do PDT dizem que ele chegou a ameaçar abandonar a campanha e precisou do irmão, Cid Gomes, para contê-lo.

Com a palavra. Em nota, a campanha de Ciro Gomes diz: “Não é verdadeira a informação que o candidato Ciro Gomes tenha ameaçado abandonar a campanha. Portanto, não é procedente que seu irmão , Cid Gomes, tenha feito qualquer tipo de intervenção”.

Me deixa aqui. O secretário de Turismo do Governo do Ceará, Arialdo Pinho, se recusou a assumir qualquer cargo na campanha de Ciro Gomes, seu amigo e eterno operador político. Motivo: Ciro está fora de controle.

Acordão. Pelo menos três dirigentes do Centrão querem que, confirmada a saída de Josué Gomes do páreo, qualquer nome alternativo para vice de Geraldo Alckmin seja guardado em sigilo.

Chama a Abin. Combinaram, ainda, de fazer um pente-fino antes de anunciar o “plano B”, para não correr o risco de provocar mais desgastes a Alckmin, o que consideram fatal para a candidatura do tucano.

Leilão. Em nome de uma frente ampliada, o Podemos ofereceu a vaga de vice de Alvaro Dias a Maurício Rands (PROS) e também a Paulo Rabello de Castro, presidenciável do PSC.

SINAIS PARTICULARES: Alvaro Dias, presidenciável do Podemos; por Kleber Sales

Valorizou. O comando do PROS começou a terça-feira em reunião com o PT e terminou com o ex-deputado Maurício Rands, filiado à legenda, jantando com Alvaro Dias (Podemos).

Mexe… O Senado retificou a redação do projeto de lei de proteção de dados pessoais enviado para a sanção do presidente Michel Temer. Com as mudanças, Temer ganha novo prazo e terá até 14 de agosto para analisar se veta itens na lei.

…remexe. O texto precisou voltar ao Senado após deputados identificarem a inclusão de emendas que não tinham sido aprovadas, como a dos adolescentes que necessitam de autorização dos pais para usar as redes sociais. O Congresso aprovou a medida apenas para as crianças.

CLICK. A prefeita de Granja (CE), Amanda do Romeu, cogita retirar a estátua folclórica instalada na festa Gran Chitão após viralizarem fotos associando a imagem ao diabo.

FOTO: DIVULGAÇÃO

Cheguei primeiro. Mesmo no exterior, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), telefonou três vezes, ontem, para Josué Gomes (PR), na tentativa de convencê-lo a aceitar a vaga de vice de Alckmin. Maia quer evitar a indicação de Mendonça Filho (DEM) para o posto, o que pode inviabilizar sua reeleição ao comando da Câmara. Sabe que seria muito o DEM ficar com o comando da Câmara e a vice-presidência.

Esquece! A indefinição de Josué Gomes irritou o Centrão. Em reunião ontem, a conclusão foi: se ele não consegue convencer a própria mãe, como vai resolver as crises do País?

LEIA MAIS: ‘Se Deus quiser, Josué não vai concorrer’, diz mãe de empresário

PRONTO, FALEI! 

Deputado Efraim Filho. Foto: André Dusek/Estadão

“Em uma aliança de última hora, o melhor caminho é respeitar as divergências locais”, DO DEPUTADO EFRAIM FILHO (DEM-PB), sobre o seu partido liberar coligações nos Estados com dificuldade de aliança com PSDB.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadão