Enquanto o governo briga, o DEM se cacifa

Enquanto o governo briga, o DEM se cacifa

Coluna do Estadão

19 de fevereiro de 2019 | 05h00

Foto: Fabio Pozzebom/Agência Brasil

Ao mesmo tempo que o PSL se consome em disputas internas e guerras santas, o DEM, empoderado pelo comando do Congresso, define seu plano de voo para atravessar os anos Bolsonaro: chegar a 2022 como o partido da agenda econômica, incluindo a reforma da Previdência. Em recente ida a Brasília, o prefeito de Salvador, ACM Neto, presidente da sigla, pediu a suas bancadas proximidade com o Planalto quando o assunto for a aprovação de regras de modernização da economia e distância regulamentar de crises, “negocismos” e extremismos.Novos tempos. Segundo quem participou do encontro com ACM Neto, ele acha que o Democratas tem de mostrar ao eleitor ser possível apoiar um projeto de governo sem cair na fisiologia, prática que carimbou o antigo PFL.

Só eles? E nós? Para governistas, a indicação do general Floriano Peixoto para o lugar de Gustavo Bebianno foi mais uma demonstração de inabilidade do governo, que teria perdido a chance de abrir espaço (e cargos, claro) a aliados.

Ciúme. “Logo vai faltar militar nas Forças desse jeito”, brinca um líder.

Até tu, Brutus? A insatisfação na base chega a reverberar no partido do presidente, o PSL. Lideranças estaduais cobram cargos que continuam nas mãos de indicados por outros governos ou que estão com militares e técnicos.

Queda… Está na pauta de hoje da Câmara o requerimento de urgência para o PDC 7/2019, que determina a volta retomada do desconto tarifário para produtores rurais.

…de braço. A extinção progressiva do encargo foi determinada no fim do ano passado, ainda na gestão de Michel Temer. Ela tem a simpatia da equipe de Paulo Guedes, mas irrita a bancada ruralista.

CLICK. O governador do Ceará, Camilo Santana, esteve ontem com a bancada estadual. Amanhã estará em Brasília para reunião com governadores e Paulo Guedes.

Eu… Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) diz que jamais prometeu votar em Renan na eleição do Senado, segundo disseram aliados do emedebista à Coluna.

…não. Por respeito a Renan, Flávio disse, via sua assessoria, que jamais descumpriria um acordo se tivesse mesmo firmado.

Pegou… Acostumados aos acordos de gabinetes para definir o comando da Assembleia paulista, alguns deputados estão assustados com a pressão e até intimidações recebidas via redes sociais por conta da eleição do próximo dia 15.

…pesado. Eles alegam estar recebendo em seus telefones uma avalanche de mensagens de apoiadores de Janaína Paschoal (PSL), candidata à presidência. Algumas delas agressivas. Em busca da reeleição, Cauê Macris (PSDB) também decidiu disparar textos pedindo apoios ao seu nome.

SINAIS PARTICULARES

NOVOS LÍDERES DO CONGRESSO

Toninho Wandscheer, líder do PROS na Câmara

CRÉDITO: KLEBER SALES

Ripa. A PF de Curitiba aperta o ritmo para fechar investigações da Lava Jato. A ideia é aproveitar os dois últimos meses de interinidade da juíza linha-dura Gabriela Hardt, substituta de Moro na 13.ª Vara Federal.

Esfinge. O futuro titular, Luiz Bonat, é considerado “sóbrio” e “ponderado” tanto por advogados como por integrantes da força-tarefa.

Pelas beiradas. O PSB filia hoje a secretária-geral da Contag, Thaisa Daiane Silva. A confederação é historicamente alinhada com os petistas.

PRONTO, FALEI!

NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Carlão Pignatari (PSDB), líder do governo de João Doria na Alesp: “Só reforça o que já sabíamos: Márcio França usou e abusou do dinheiro público para tentar se reeleger”, sobre uso de helicóptero do governo em eventos políticos.

 

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.