Exclusivo. Em tentativa de delação, Funaro citou Temer

Exclusivo. Em tentativa de delação, Funaro citou Temer

.

Andreza Matais

19 de maio de 2017 | 05h30

Foto: André Dusek/Estadão

O operador Lúcio Funaro citou Michel Temer nas conversas que teve entre janeiro e fevereiro na Procuradoria-Geral da República, quando negociava fazer delação. Ele participou de cerca de cinco reuniões – duas delas na Papuda, onde está preso, e as outras no prédio no MPF, mas a delação não se concretizou. Quem acompanhou as negociações diz que as conversas travavam quando o tema era JBS. Joesley Batista, dono da empresa, admitiu em delação que pagava mesada de R$ 400 mil para que Funaro não abrisse o bico e que informou Temer sobre isso.

Funaro escreveu numa sala do MPF um resumo do que poderia contar na delação. Não fez isso da Papuda porque após estripulias de outro preso, o ex-senador Luiz Estevão, o presídio passou a ler o que escrevem os internos.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Lúcio FunaroMichel Temer

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.