Em pronunciamento, presidente repete conteúdo de redes bolsonaristas

Em pronunciamento, presidente repete conteúdo de redes bolsonaristas

Coluna do Estadão

25 de março de 2020 | 05h00

O presidente Jair Bolsonaro em pronunciamento nesta terça-feira, 24 Foto: Presidência da República / Divulgação

As redes bolsonaristas atuam para propagar a tese de que vale afrouxar o confinamento para “salvar” a economia, custe o que custar. No pronunciamento de ontem, Jair Bolsonaro repetiu as linhas gerais dessa narrativa, segundo a qual ele luta contra exageros de inimigos interessados no pânico e no desemprego de milhões. Algumas das mensagens reproduzem dados de caráter duvidoso. Alvos de ataques dessas redes e autoridades preocupadas com a pandemia disseram à Coluna que já enxergam nelas digitais cibernéticas do gabinete do ódio.

Em on. Gabriel Kanner, presidente do grupo de empresários Brasil 200, simpático a Jair Bolsonaro, defende que o isolamento dure apenas mais duas semanas, no máximo, contrariando o que diz o Ministério da Saúde e a OMS.

Em on 2. “Sem menosprezar o coronavírus, mas tem que haver uma abordagem mais cirúrgica. Isolar grupos de risco e os outros voltam às atividades econômicas em, no máximo, duas semanas”, afirma Kanner.

Bom senso. Em conversa com parlamentares, Rodrigo Maia defende o isolamento. Acha que o impacto econômico será gigantesco para todos se o sistema de saúde entrar em colapso.

Boleiro. Na reunião com os governadores do Nordeste, Bolsonaro citou uma saudade ao governador do Alagoas, Renan Filho. “Relembro do nosso tempo de pelada aqui em Brasília. Um abraço no teu pai”. Renanzinho, como é conhecido, é filho de Renan Calheiros.

SINAIS PARTICULARES.
Jair Bolsonaro, presidente da República

Ilustração: Kleber Sales

 

Boia. Entusiastas da proposta de cortar parte dos salários de servidores para engordar recursos do combate à covid-19 acreditam que a medida pode ser uma espécie de salva-vidas ao tão desgastado Legislativo.

In… A medida, apoiada por Maia e encabeçada pelos tucanos, encontra resistência de líderes. A forma, a porcentagem e as carreiras afetadas ainda são alvo de debate. O consenso de que o tema pode entrar na agenda nas próximas semanas está sendo construído.

…progress. Maia reforça, contudo, que a iniciativa deve partir do Executivo e incluir todos os Poderes. Leia mais aqui.

Juntos. Representantes diplomáticos fizeram chegar ao secretário de Relações Internacionais de SP, Júlio Serson, o pedido de audiência com a cúpula do Bandeirantes. Entre mais de 60 diplomatas já confirmados na videoconferência de hoje com Rodrigo Garcia, está o representante da China.

CLICK. O senador Izalci Lucas (PSDB-DF) participou de casa da sessão do Senado que votou a MP do Contribuinte Legal. Foi a 1ª com votação nominal no home office.

Foto: Coluna do Estadão

Digital. O CNJ criou grupo de trabalho para discutir videoconferência no sistema criminal. Conselheiros, magistrados e representantes do Ministério Público, Defensoria Pública e advocacia emitirão, até o dia 30 de maio próximo, parecer com proposta de ato normativo e protocolos.

Digital 2. A ideia do CNJ é regulamentar o uso da videoconferência em instrução processual e de execução penal. As audiências de custódia continuam suspensas e com o uso da tecnologia vedado por cortes superiores, diz o conselho.

Cadê… Enquanto a Prefeitura de São Paulo já está com dois hospitais de campanha quase prontos (Pacaembu e Anhembi), o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, segue fazendo lives em um espaço vazio, onde supostamente existirá um hospital.

…prefeito? Crivella foi o primeiro a prometer a adoção da medida, mas, até agora, nada. O prefeito nem sequer conseguiu convencer o Exército, que seria o responsável pela montagem, da necessidade de instalar um hospital de campanha no Rio de Janeiro.

PRONTO, FALEI!

Foto: Gabriela Biló / Estadão

Baleia Rossi (MDB-SP): “Se a emergência exigir, não vejo nenhuma dificuldade. O MDB não vai se opor à utilização do fundo eleitoral para o combate ao coronavírus.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. 

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: