Em projeto rumo a 2022, MBL quer Janaina fora do PSL

Em projeto rumo a 2022, MBL quer Janaina fora do PSL

Alberto Bombig e Matheus Lara

23 de agosto de 2021 | 05h00

Janaina Paschoal. FOTO: SERGIO CASTRO/ESTADÃO

Alimentada pelo antipetismo desde 2013, a relação entre MBL e Janaina Paschoal não sobreviveu ao bolsonarismo. Integrantes do movimento que insuflou os atos contra Dilma acusam a agora deputada estadual de abandonar a coerência e de se dobrar a um governo federal criminoso. A advogada, uma das autoras do pedido de impeachment que derrubou a petista, diz que o MBL faz o jogo da esquerda ao criticar ações do Supremo contra bolsonaristas. O rompimento ocorreu quando os dois lados se viram na iminência de estar de novo lado a lado: dentro do PSL.

Lado A. “Janaina tem se distanciado da coerência que a elegeu, sendo leniente com um governo tão criminoso quanto os do PT. Se continuar nessa linha, não há outro caminho a não ser a saída dela do PSL”, diz Rubinho Nunes, recém-filiado ao partido.

Em bonde. Nunes é quem articula a entrada na sigla de outros membros do movimento, como Kim Kataguiri e Arthur do Val. Para isso, defende a saída dos bolsonaristas do PSL.

Lado B. “O MBL radicalizou demais em relação à Presidência. Estão dando força para a esquerda, apoiando ações contra a liberdade”, afirma Janaina.

Na minha. A deputada estadual de São Paulo reclama de ficar sabendo das questões envolvendo o PSL pela imprensa e já avisou à sigla: sairá na próxima janela, com a intenção de concorrer ao Senado em 2022.

Que se retirem. Júnior Bozzella, presidente do PSL-SP, acha que não serão necessárias expulsões para “desbolsonarizar” o partido: os descontentes sairão por conta própria.

Bad timing. Exatamente quando o ministro Milton Ribeiro fala em universidades “para poucos” e que aluno com deficiência “atrapalha”, vem aí o III Congresso Ibero-americano de Educação Comparada. A sede será em Montevidéu, de 1.º a 3 de setembro, mas o evento não será presencial.

CLICK. Michel Temer bateu papo com seguidores no Instagram. Um deles tascou: pretende ser candidato em 2022? “Vamos deixar o tempo passar…”, respondeu ele.

FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

TNT. Não é bom o clima que vai se formando em torno do Sete de Setembro. Autoridades de São Paulo e de Brasília estão preocupadas com a tensão crescente nas redes sociais entre apoiadores do presidente e grupos contrários a ele.

Governança. FHC, Gilmar Mendes, Gilberto Kassab e o advogado Manoel Gonçalves Ferreira Filho, com mediação de Walfrido Warde e Rafael Valim, presidente e diretor do IREE, respectivamente, participam de live do instituto hoje, 23, às 10h30, para debater o semipresidencialismo.

Inacreditável… Um “meme” ilustra à perfeição a novelinha da reforma tributária no governo Bolsonaro. Nele, o atacante Pablo, do São Paulo F.C., aparece desperdiçando uma chance clara de gol em jogo recente contra o Palmeiras.

…Futebol… Após ter sido deixado na cara do gol por seu companheiro Rigoni, Pablo inacreditavelmente chuta a bola para fora em lance capital da partida.

…clube. Conforme o “meme”, basta substituir os nomes Rigoni por Bernard Appy e Pablo por “Paulo Guedes”…

SINAIS PARTICULARES
Paulo Guedes, ministro da Economia

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

PRONTO, FALEI!

Ministro Gilmar Mendes. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Gilmar Mendes, ministro do STF: “A fabricação artificial de crises institucionais infrutíferas afasta o País do enfrentamento dos problemas reais. A crise sanitária da pandemia, a inflação galopante e a paralisação das reformas necessárias devem integrar a agenda política. É hora de reordenar prioridades”.

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.