Em Brasília, Geddel dividia apartamento com o irmão Lucio Vieira Lima

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10.ª Vara Federal de Brasília, negou pedido de busca e apreensão na residência funcional do deputado por causa da prerrogativa de foro privilegiado.

Luiza Pollo

13 de janeiro de 2017 | 14h57

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Candidato à vice-presidência da Câmara, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) dividiu o apartamento funcional de Brasília com o irmão Geddel Vieira Lima, ex-ministro da Secretaria de Governo, nos seis meses em que ocupou a pasta.

Por morarem no mesmo endereço, a residência funcional do deputado virou alvo pedido de mandado de busca e apreensão da Polícia Federal na Operação Cui Bono?, deflagrada nesta sexta-feira, 13, para apurar suposto esquema de fraudes na Caixa.

O pedido, porém, acabou negado pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10.ª Vara Federal de Brasília, porque o parlamentar detém prerrogativa de foro privilegiado. (Naira Trindade)

Tendências: