Edinho Silva foi um dos poucos que não receberam quarentena

Vera Rosa

14 de novembro de 2016 | 16h27

edinho silva

 

Edinho Silva foi um dos poucos ministros de Dilma Rousseff que não ganharam “quarentena”. Previsto em lei para evitar conflito de interesses, o benefício correspondeu a um salário mensal de R$ 30,9 mil. Ex-titular da Comunicação Social, Edinho deixou o governo em 12 de maio — quando Dilma foi afastada do Palácio do Planalto –, mas entrou direto na campanha, elegendo-se prefeito de Araraquara (SP). Em conversas com amigos, ele reclamou de dificuldades financeiras no período. Foi, porém, o único petista a conquistar uma prefeitura importante no Estado de São Paulo.

 

A “quarentena” terminou neste sábado, após seis meses de concessão, aprovada pela Comissão de Ética Pública da Presidência. Quase metade da equipe de Dilma recebeu os mesmos vencimentos pagos quando estava na ativa, depois que o Senado autorizou a abertura do processo de impeachment.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.