Economia quer defesa mais firme da reforma

Economia quer defesa mais firme da reforma

Coluna do Estadão

13 de março de 2019 | 05h00

Secretário Especial da Previdência, Rogério Marinho. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Com emendas liberadas e cargos sendo preenchidos, o Ministério da Economia quer obrigar os parlamentares governistas a sair do armário numa defesa mais enfática da Nova Previdência. Em reunião recente, um dos auxiliares de Rogério Marinho lembrou que quem é contra as mudanças malha a proposta todos os dias, enquanto quem é a favor só abre a boca de vez em quando, mesmo assim fala em tese e sempre faz ressalvas. Para a equipe econômica, deputados e senadores precisam agora virar soldados da causa em vez de só beliscarem nacos do poder central.

Sabedoria. Quem colheu impressões do ex-presidente FHC sobre a entrevista de Paulo Guedes ao Estado ouviu mais ou menos isto: o ministro fala de ex cathedra, tem boas ideias e intenções, mas ainda desconhece a realidade da política.

Lição de casa. A reunião de Paulo Guedes com líderes da Câmara para conversar sobre Previdência foi adiada para hoje. Deve ocorrer um almoço na residência oficial do presidente da Casa, Rodrigo Maia.

Aqui, não. O PSD quer que o senador Sérgio Petecão (AC) recuse o cargo de vice-líder de Bolsonaro no Congresso. “Estamos para ajudar, mas sem vinculação. Não fazemos parte da base”, diz Otto Alencar (BA), líder do partido no Senado.

Deixa comigo. Petecão disse que comunicou Joice Hasselmann (PSL) do impasse e entregou o cargo. A líder do governo, porém, pediu um tempo para tentar convencer o PSD.

Bonde pesadão. O apoio a Murillo de Aragão para assumir a embaixada em Washington encontra respaldo não apenas do vice-presidente, Hamilton Mourão. Parte de equipe econômica também está com ele.

Tô dentro. Ernesto Araújo participará amanhã do primeiro encontro do Brics em Curitiba, mesmo o evento sendo voltado para vice-ministros. O chanceler já avisou que vai querer tratar de Venezuela.

Articulando. Anteontem, o chanceler teve um primeiro encontro com o vice-chanceler russo, Sergei Ryabkov, para tratar da crise no país vizinho. Além da Rússia, a China também é simpática a Maduro.

SINAIS PARTICULARES.
NOVOS LÍDERES DO CONGRESSO
Jorge Kajuru, líder do PSB no Senado (GO)

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Acima. Levantamento do Tribunal de Contas da União mostra que em 104 empresas estatais 200.578 funcionários (92,85% do total) recebem acima da mediana do que é pago no mercado e 55,66% recebem duas medianas de mercado.

Transparência. Os dados foram levantados em processo que analisa a remuneração de estatais como BNDES, Caixa e Petrobrás. O relatório vai para análise em plenário. Umas das providências que podem ser tomadas é determinar a publicação dos salários desses funcionários na internet.

CLICK. A família Bolsonaro almoçou ontem no Itamaraty com o presidente do Paraguai, Mario Benítez. Na ocasião, Bolsonaro aceitou o convite para visitar o país vizinho.

FOTO: REPRODUÇÃO INSTAGRAM EDUARDO BOLSONARO

Menos… Assim que tomar posse, sexta-feira, a bancada do Novo vai protocolar um pedido de criação da Frente Parlamentar da Desburocratização na Assembleia Legislativa de SP. O objetivo é promover um “revogaço” de leis.

…é mais. Existem 20.394 leis estaduais vigentes em SP, muitas delas inúteis, segundo dizem. “Precisamos trazer eficiência e produtividade ao Parlamento”, afirmou Ricardo Mellão (Novo). Bruno Caetano (PSDB) tem projetos semelhantes na Casa na atual legislatura.

PRONTO, FALEI!

Major Olimpio. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Major Olimpio, líder do PSL no Senado (SP): “Quem prende o mau policial é o bom. A boa investigação deve continuar”, sobre a prisão de um policial reformado e de um ex-policial, acusados de assassinar Marielle.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao