Doria lança pacote de ajuda a Bruno Covas

Doria lança pacote de ajuda a Bruno Covas

Coluna do Estadão

04 de setembro de 2019 | 05h00

Bruno Covas e João Doria. FOTO: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

O governador João Doria (PSDB) anuncia hoje ajuda financeira a projetos da Prefeitura de São Paulo. Um dos repasses é para ações de duplicação da Estrada do M’Boi Mirim (zona sul). O pacote também destinará recursos para a área da saúde, sempre muito sensível a eleitores das populosas franjas da capital. A pouco mais de um ano da eleição, a ajuda chegará em boa hora para o também tucano Bruno Covas, que vê a multiplicação de adversários. Segundo auxiliares do prefeito, ele vinha sendo tratado com “austeridade exagerada” pelo governo.

Sinalização. O apoio a Covas também ocorre no momento em que aumentaram as especulações de bastidores sobre uma conspiração para impedi-lo de disputar a reeleição, algo que o Bandeirantes sempre nega.

Pedala… Em evento que debateu deslocamentos sustentáveis, realizado no Itaú Cultural em SP, Elisabete França, da administração municipal paulistana, disse que o plano cicloviário da gestão Bruno Covas será apresentado este mês.

…prefeito. Covas também corre atrás de recuperar patrocínio para a ciclofaixa de lazer nos fins de semana, vitrine de gestões anteriores desativada recentemente sob protestos.

SINAIS PARTICULARES 
Bruno Covas, prefeito de São Paulo

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Obstáculos. Os planos de expansão do DEM no Nordeste encontraram mais entraves em dois Estados: Alagoas e Ceará, onde a influência dos Calheiros e dos Gomes, respectivamente, ainda é muito forte.

Obstáculos 2. Para romper a barreira, o partido quer pegar carona na segurança pública que elegeu diversos quadros do PSL e lançar o deputado federal Capitão Wagner em Fortaleza. Pesquisas já mostram o parlamentar na liderança.

Plano. Há ideia de preencher espaços também no Norte. ACM Neto tenta atrair o vice-governador do AM, Carlos Alberto Filho, para disputar pelo DEM a prefeitura de Manaus.

Técnico. Foi cenográfico o abraço de Fernando Haddad em Ciro Gomes (PDT) semana passada no Ceará. Logo após o gesto, devidamente registrado pelas câmeras, o petista caiu fora do evento em que ambos estavam sem se despedir.

Olha lá. Com apoio do Centrão, a “CPI da Vaza Jato” entra na reta final de coleta de assinaturas: faltam menos de 14 para atingir as 171 necessárias. Pelo menos 20 delas teriam vindo do PP e 11, do PL.

Olha lá 2. A relatoria da CPI mista de fake news estava prevista para cair nas mãos do PT. Mas, depois de muita pressão, a legenda cedeu e apoiou Lídice da Mata (PSB-BA), que será confirmada no posto na instalação da comissão hoje. A presidência ficou com Marcos Rogério (DEM-RO).

CLICK. Michelle Bolsonaro e Damares Alves em comemoração organizada por voluntários para o menino autista Arthur, que foi barrado em uma festinha de criança.

FOTO: WILLIAN MEIRA/MMFDH

Meio cheio… O Sou da Paz avalia que o programa de Sérgio Moro para combater homicídios, apesar de louvável, é insuficiente em recursos e abrangência.

…meio vazio. O orçamento do programa corresponde a 1,1% dos recursos do Fundo de Segurança. As cinco cidades escolhidas representam apenas 2,4% dos homicídios do País, segundo o Atlas da Violência.

Internacional. Antes de visitar Lula na prisão amanhã, o presidenciável Jean-Luc Mélenchon, do partido França Insubmissa, almoçará com Fernando Haddad.

PRONTO, FALEI!

Ricardo Prado. FOTO: DIVULGAÇÃO

Ricardo Prado, presidente do Ministério Público Democrático: “Falta legitimidade ao projeto de Lei de Abuso de Autoridade, pois os novos parlamentares, eleitos no último pleito, foram excluídos do debate.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: