Discursos no STF estão afinados com Lava Jato

Discursos no STF estão afinados com Lava Jato

­­

Coluna do Estadão

13 de setembro de 2016 | 05h00

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Posse da ministra Cármen Lúcia no STF. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Os discursos cheios de recados na posse da ministra Cármen Lúcia na presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) são um prenúncio do que está por vir na Lava Jato e outras operações desse porte tocadas pela PF e pelo Ministério Público. Investigadores que acompanharam os pronunciamentos dos ministros Cármen Lúcia e Celso de Mello e do procurador-geral, Rodrigo Janot, defendendo punições severas aos “indignos do poder”, garantem que não foi à toa. Estão conectados com as investigações que avançam de forma silenciosa.

Enquanto Celso de Mello discursava, o presidente Michel Temer não olhou para ele. O ex-presidente Lula passou o tempo todo mexendo no bigode e o governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), coçando a orelha.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Posse de Cármen Lúcia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.