Dilma se emociona ao falar de tortura e câncer

Coluna do Estadão

29 de agosto de 2016 | 10h38

A presidente afastada, Dilma Rousseff, emocionou-se durante seu discurso de defesa na manhã desta segunda-feira, 29. A petista, que já fala há mais de meia hora, embargou a voz quando falou das torturas às quais foi submetida na ditadura militar e ao mencionar o câncer que enfrentou.

“Hoje, só temo a morte da democracia”, afirmou com voz embargada.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.