Dilma pode se recusar a responder perguntas de senadores

Presidente afastada afirma, contudo, que não vê problemas em responder aos questionamentos

Coluna do Estadão

17 de agosto de 2016 | 11h23

Sinais Particulares: Dilma Rousseff. Ilustração: Kleber Sales

Sinais Particulares: Dilma Rousseff. Ilustração: Kleber Sales

 

A presidente afastada Dilma Rousseff pode se recusar a responder perguntas dos senadores caso faça pessoalmente sua defesa no plenário da Casa Legislativa no processo de impeachment. Segundo a assessoria do Senado, Dilma pode apenas discursar e se retirar da sessão. Conforme a Coluna do Estadão revelou hoje, Dilma já está redigindo o seu pronunciamento.

Interlocutores da petista afirmam que ela deve comparecer, mas ainda não sabem se estará disposta a enfrentar questionamentos. Muitos senadores sobem o tom e a sessão poderia descambar para um bate boca.

O julgamento final do impeachment começa no próximo dia 25. Dilma só poderá se manifestar depois de todas as testemunhas de defesa e acusação. Seguindo essa regra, ela só deve se pronunciar no dia 26 ou depois.

Após a publicação dessa nota, a assessoria da petista confirmou que ela decidiu fazer sua defesa no Senado e que não vê problemas em responder perguntas de senadores. (Andreza Matais e Carla Araújo)

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.