“Deve ser na sua casa”, diz Jaques Wagner ao ser chamado de ladrão

Andreza Matais

02 Março 2018 | 21h27

O plano B do PT para a disputa à Presidência caso Lula seja mesmo impedido de participar das eleições, o petista Jaques Wagner reagiu com irritação à provocação de um manifestante nesta sexta-feira, 2, durante a inauguração do Distrito Integrado de Segurança de Camaçari, na região metropolitana de Salvador. No protesto gravado em vídeo, um homem não identificado mostra um relógio e diz: “Olha o reloginho aqui”, mostrando o objeto aos gritos.

Wagner tentou ignorar o protesto e continuou o discurso.  Disse que era uma “árvore que dava bons frutos políticos” e isto causava inveja nos adversários. Mas quando o manifestante disse que o atual secretário era um “canalha que rouba os outros”, o petista reagiu irritado: “deve ser na sua casa”, provocando vaias e aplausos dos presentes. A referência ao relógio ocorreu porque a Operação Cartão Vermelho, deflagrada na segunda-feira pela Polícia Federal, apreendeu 15 relógios de luxo no apartamento do ex-governador em Salvador.

A PF acusa Wagner de receber propina de R$ 82 milhões do consórcio Fonte Nova Participações que demoliu e reconstruiu o estádio de futebol para a copa de 2014. O consórcio era formado pelas empreiteiras OAS e Odebrecht e teria sido beneficiado por superfaturamento da obra.