Deputado admite relatar projeto que o beneficia

Deputado admite relatar projeto que o beneficia

Coluna do Estadão

12 Junho 2018 | 05h30

SINAIS PARTICULARES. Nelson Marquezelli, deputado federal; por Kleber Sales

O deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), que articula emenda para anistiar as multas aplicadas durante a greve dos caminhoneiros e relata o projeto de lei que cria um marco regulatório para o transporte de cargas, é dono de uma frota de 120 caminhões. Sua firma faz a distribuição de produtos Ambev. Questionado se será beneficiado pelas duas medidas, vai direto ao ponto: “Beneficia a mim e a todos. O meu motorista, em vez de perder a carteira com 20 pontos, perderá com 40”, disse à Coluna, sobre um dos pontos que incluiu no projeto.

Quero mais. Marquezelli não desistiu de anistiar caminhoneiros e empresas multadas na greve. Garante que só mudou de estratégia. No lugar de projeto, que tem aprovação demorada, vai incluir um “jabuti” numa medida provisória.

Não pode! O Artigo 180 do Regimento Interno da Câmara diz que o deputado deve se declarar impedido de votar temas que tratem de causa própria ou sobre o qual tenha interesse individual. O Código de Ética veda a relatoria. Marquezelli justifica que o projeto não atende só ele.

Passou raspando. O ministro do TCU Vital do Rêgo, relator do processo que julga as contas do governo de 2017, vai aprovar, com ressalvas, o balanço da gestão Temer. A sessão está prevista para amanhã.

Sem pedaladas. O voto deve trazer ressalvas para ampliação na transparência de dados e alertas sobre os gastos públicos. Apesar das críticas, as pedaladas fiscais não são mencionadas como ocorrências em 2017.

De volta. O juiz Luciano Couto (TRE-RS) considerou que houve falha do MDB e autorizou a filiação retroativa do ex-ministro Nelson Jobim à legenda. Com isso, o nome de Jobim volta para a disputa presidencial.

Agora vai. Rodrigo Maia conversa com Cid Gomes amanhã sobre uma possível aliança em torno de Ciro Gomes. Se tudo correr bem, o próximo passo será com o candidato.

Quintal. O PP tem piscado para Ciro Gomes por uma razão. Ele lidera no Piauí e pode ajudar a reeleger o presidente da sigla, senador Ciro Nogueira.

Pior que tá… A medida provisória que transferiu recursos das loterias esportivas para o fundo de segurança pública tirou dinheiro dos atletas paralímpicos.

…fica. Cerca de 95% do orçamento do Comitê Paralímpico do Brasil (CPB) vem do governo federal. Em 2017, o CPB recebeu R$ 130 milhões das loterias. Cálculos iniciais indicam que a MP deve tirar R$ 11 milhões do comitê.

Resultado. Atletas temem que o corte comprometa a preparação para os jogos de Tóquio em 2020.

CLICK. Após cumprir quarentena, o ex-diretor-geral da PF Leandro Daiello começou a trabalhar no Warde Advogados. Vai responder pela área de compliance.

Mais um. O governador Márcio França (PSB) escolheu Marcelo Strama para presidir a poderosa Junta Comercial de São Paulo. Em 2016, Strama concorreu e perdeu a eleição para a prefeitura de Itanhaém pelo partido do governador.

Reforço. O ex-presidente FHC vai participar do próximo ato do “polo democrático”, grupo suprapartidário que defende a unidade do centro no primeiro turno da eleição presidencial. Será no próximo dia 28, em São Paulo. O primeiro encontro foi esvaziado.

PRONTO, FALEI!

“As eleições se aproximam e não vemos os candidatos dizerem como farão para garantir o ajuste fiscal ou como farão a Reforma da Previdência”, DO MINISTRO-CHEFE DA CASA CIVIL, ELISEU PADILHA. 

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE. COLABORARAM ANDRÉ BORGES E PEDRO VENCESLAU

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão