Depoimento de Joesley foi adiado a pedido da PGR

Depoimento de Joesley foi adiado a pedido da PGR

.

Andreza Matais

22 de maio de 2017 | 09h54

Foto: Jonne Roriz/Estadão

O depoimento de Joesley Batista na Polícia Fededal na Operação Bullish foi adiado a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A Justiça Federal em Brasília atendeu o procurador e prorrogou o depoimento. A nova data ainda não foi definida.

A Bullish investiga esquema de corrupção no BNDES para financiar empresa do grupo J&F, de Joesley Batista. O empresário foi alvo de mandado de condução coercitiva, mas está nos Estados Unidos e a ação não foi cumprida.

Joesley fez delação premiada em outra frente de investigação na qual contou ter pago propina ao presidente da República, Michel Temer, ao senador afastado Aécio Neves e a mais de mil políticos.

A delação lhe garantiu perdão judicial em todos os crimes que cometeu e que vier a ser investigado envolvendo corrupção.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Joesley Batista

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.