DEM se prepara para eleições ainda dividido

DEM se prepara para eleições ainda dividido

Coluna do Estadão

01 de julho de 2019 | 05h00

Manifestação pró-Sérgio Moro em Brasília. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Outra vez alvo das manifestações, o DEM caminha para as eleições municipais ainda dividido entre quem teme os ataques do eleitor bolsonarista e quem enxerga na queda da popularidade do presidente sinal de que ser alvejado por ele não é de todo ruim. Com o MDB fora da máquina pela primeira vez nesta década, o partido conta com um bom desempenho em 2020 para se consolidar. A ala alinhada a Bolsonaro torce para as críticas ficarem restritas às redes sociais. Já a turma mais próxima de Rodrigo Maia não pretende se furtar do embate.

Fora do radar. A aposta dos bolsonaristas do DEM é na dificuldade de o eleitor diferenciar uma sigla de outra, principalmente nos rincões do País. A preocupação é maior em capitais como Curitiba e Porto Alegre.

Sinuca… Para um deputado de outro partido de centro, por mais que o Congresso busque agenda positiva própria, quando aprovada, os louros deverão ir mesmo para Bolsonaro.

…de bico. Ainda assim, ele avalia ser melhor investir na recuperação da economia, com brasileiros empregados. Acredita que isso vai melhorar a relação do eleitor com a classe política.

Tente outra vez. Os mais recentes decretos de armas de Jair Bolsonaro já são alvo de 15 iniciativas na Câmara para sustá-los.

Cuidado… Relator da proposta que tramita no Senado, Alesssandro Vieira (Cidadania-SE) diz ser sensível à necessidade de flexibilizar as regras, mas não abre mão de endurecer as punições para crimes relacionados a armas de fogo.

…dobrado. Ele vai aumentar em até 50% as penas para quem não tomar os cuidados devidos para que sua arma não pare na mão de terceiros e para quem roubar artefatos de policiais.

Tramitação… O governo estuda permitir que acordos internacionais como o do Mercosul-União Europeia sejam analisados apenas pela Secretaria de Assuntos Jurídicos da Presidência e pelo Itamaraty.

…express. Hoje, eles passam por todos os ministérios envolvidos, e a aprovação demora mais no Executivo do que no Legislativo.

Tudo… O governo está preocupado com indicações de embaixadores que empacam no Senado. Antes, o documento passava quase automaticamente para a Comissão de Relações Exteriores. Agora ficam em um limbo na Mesa Diretora.

…sem… Despachadas a conta gotas, quando chegam à comissão e ao plenário, são aprovadas com rapidez.

… pressa. Uma das poucas que andaram rápido foi a de Hélio Ramos, ex-assessor de Rodrigo Maia, para Roma. Foi encaminhada um dia após chegar ao Senado.

CLICK. O deputado Eduardo Bolsonaro foi às manifestações de domingo em Brasília vestindo uma camiseta de apoio ao aliado, o ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Foto: Reprodução/Instagram Heloísa Wolf

Apagão. A proibição de recondução de diretores às agências reguladoras acendeu o alerta na Anvisa. Se prevalecer, será preciso trocar três dos cinco até março de 2020. Com o uso da maconha para fins medicinais em debate na agência, o governo quer escolher alguém alinhado a ele nesse tema.

Malas prontas. O general Cid, que comandou a ocupação do Morro da Providência no Rio durante o governo Lula e foi chefe de gabinete do comandante Enzo Perri, foi para a reserva, mas já tem novo emprego. Vai assumir o escritório da Apex em Miami.

SINAIS PARTICULARES. General Cid, novo coordenador do escritório da Apex em Miami; por Kleber Sales

PRONTO, FALEI!

Deputada federal Soraya Santos (PL-RJ). Foto: Divulgação/Agência Câmara

Da deputada federal Soraya Santos (PL-RJ): “Precisamos valorizar o Congresso. O governo não pode legislar o tempo todo por medida provisória como se tudo fosse urgente”, sobre relação com o Planalto.

COM JULIANA BRAGA (editora interina) E REPORTAGEM DE MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: