DEM reforça imagem de partido pouco confiável

DEM reforça imagem de partido pouco confiável

Coluna do Estadão

02 de fevereiro de 2021 | 05h00

O DEM, que cresceu em 2020 por se colocar como partido da direita “ponderada”, “democrática”, civilizada” e “liberal” em contraponto ao bolsonarismo, pode até construir narrativas para disfarçar, mas o fato é: sua direção, personificada em ACM Neto, abraçou Jair Bolsonaro no Congresso, em disputa marcada por fisiologismo desvairado e pródiga em emendas, mesmo durante forte restrição orçamentária. Para Luciano Huck, convidado a ingressar no DEM, e João Doria, esperançoso de uma aliança, fica a dica: não há confiabilidade na sigla.

Será? O entorno de Luciano Huck, porém, avalia que a briga interna não inviabiliza as conversas avançadas dele com o DEM. Com cautela, como é de praxe no grupo do apresentador de TV, a avaliação é de que há muita água para correr embaixo da ponte.

A ver. Um interlocutor de Huck vai além: o futuro será importante para separar o joio do trigo, quem é fisiologista e quem é mais oposicionista no DEM.

Passou pano. Para esse interlocutor, ACM Neto priorizou garantir o Senado, com o Rodrigo Pacheco (MG), e não deve embarcar de cabeça no governo.

E aí? Outro amigo de Huck tem leitura diferente: no mínimo, o racha mostrou que o DEM tem múltiplos caciques e uma ala governista muito forte. Como ser coerente com discurso de crítica a Bolsonaro em 2022 num partido que tem ministros no governo e que não negou apoio aos nomes dele no Congresso?

Lá pra frente. Do governador Flávio Dino (PCdoB-MA): “Se a esquerda estivesse isolada e a direita unida, nem disputa teria havido na Câmara. Sobre eleição de 2022, está definido que Bolsonaro não unificará toda a direita e o ‘centro’. Isso é o mais importante.”

Tapeteiro? Foi puxada de tapete o que ACM Neto fez com Rodrigo Maia?

SINAIS PARTICULARES.
ACM Neto, presidente do DEM

Ilustração: Kleber Sales

CLICK. Kátia Abreu (PP-TO) inovou no look e participou da eleição do Senado com uma saia feita com gravatas que pediu e ganhou de seus colegas senadores.

Reprodução/Twitter

CLT. É tamanha a sinergia entre Sérgio Moro e Deltan Dallagnol nas supostas conversas entre ambos divulgadas que um ministro do STF brinca: cabe uma reivindicação trabalhista; talvez Moro devesse pedir ao Ministério Público Federal seus direitos.

Pavimentando… O governo paulista lança programa para entregar 2 mil quilômetros de novos pavimentos nas estradas vicinais do Estado. O vice-governador Rodrigo Garcia participa da primeira audiência pública (virtual) nesta terça, 2.

…caminhos. É o tipo de programa que costuma render dividendos eleitorais. As vicinais impactam diretamente no cotidiano do interior, seja no transporte escolar ou nos caminhos da produção agrícola. A licitação do primeiro lote deve ocorrer já em março.

Ponte. O RenovaBR fez parceria com a Embaixada da Dinamarca no Brasil para o curso Governo Digital e Cultura Democrática. Participaram 22 parlamentares brasileiros, de diferentes partidos, como Marina Helou (Rede), Fábio Ostermann (Novo) e Alessandro Vieira (Cidadania).

Ponte 2. O curso foi ministrado pela organização Danish Institute for Parties and Democracy, que reúne indivíduos, grupos e partidos para compartilhar ideias, conhecimentos e experiências, além de suporte em projetos que fortalecem a cultura democrática.

PRONTO, FALEI!

Deputada Joice Hasselmann. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Joice Hasselmann, deputada federal (PSL-SP): “Ministro Luiz Fux deu um banho de civismo e legalidade na abertura do ano Judiciário. Mais do que isso. Com elegância passou um pito em Jair Bolsonaro.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.