Delgado diz que assustou-se com pedido de condenação e nega irregularidades

Coluna do Estadão

02 de setembro de 2016 | 19h25

O deputado federal Julio Delgado (PSB-MG) | Ed Ferreira/Estadão

O deputado federal Julio Delgado (PSB-MG) | Ed Ferreira/Estadão

O deputado federal Julio Delgado (PSB-MG) diz que assustou-se com o pedido de condenação feito pelo Ministério Público Federal no Distrito Federal por improbidade administrativa.

“O deputado Júlio Delgado (PSB-MG) repudia veementemente a ação civil apresentada nesta sexta-feira (02.09) pelo Ministério Público Federal (MPF) no Distrito Federal”, afirmou em nota a assessoria de Delgado.

O caso é decorrente da Lava Jato, um desdobramento de investigações feitas a partir de informações reveladas na delação premiada do empresário Ricardo Pessoa, dono da UTC Engenharia, à Procuradoria-Geral da República.

Delgado foi acusado de tentar interferir na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que apurava irregularidades na Petrobrás, em troca de doações eleitorais para o seu partido.

“Mais do que nunca me assustei com isso”, disse Delgado à Coluna. “Talvez seja até um equívoco. Nunca fui executivo de nada. Se for a respeito daquele dinheiro, não foi para a minha conta. Foi para a conta do partido e dividido para 16 candidatos que prestaram conta”, afirmou.

Delgado lembrou ainda que o caso já foi arquivado no Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Em nota, ele disse reiterar sua “total confiança na Justiça brasileira e sua permanente disposição de colaborar com as autoridades, destacando que desconhecia a existência do processo e que jamais foi procurado pelo MPF para se defender”.

A UTC informou que não comenta investigação em andamento. (Daniel Carvalho e Fábio Fabrini)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.