Delator de varreduras de grampo é demitido pelo Senado

Naira Trindade

15 Janeiro 2018 | 23h09

Foto: André Dusek/Estadão

O Senado assinou as demissões dos servidores que praticaram improbidade administrativa, como antecipou a Coluna em 9 de janeiro. Entre os demitidos está o policial legislativo Paulo Igor Bosco Silva, que  delatou à Justiça o esquema de varreduras de grampos da polícia do Senado.

A publicação das exonerações saiu no Diário Oficial do Senado desta segunda-feira, 15, e foi assinada pelo presidente em exercício, Cássio Cunha Lima. O  presidente do Senado, Eunício Oliveira, está licenciado.

O processo administrativo contra Paulo Igor mostra que o policial registrava o ponto eletrônico, mas se ausentava para dar aulas em instituições preparatórias para concursos de Brasília. As páginas do PAD trazem também imagens. No dia 28 de dezembro de 2015, Paulo Igor marcou presença e deixou o trabalho em seguida. O mesmo se repete no dia 30 de dezembro. Nas gravações da câmera de segurança  é possível perceber que o policial vestia trajes casuais, mesmo usado nas vídeo-aulas do cursinho. Ele não foi encontrado para comentar a demissão.