Defesa tenta prisão domiciliar para Rocha Loures

Naira Trindade

29 de junho de 2017 | 17h24

Foto: Dida Sampaio/Estadão

A defesa de Rodrigo Rocha Loures faz um apelo para que o plenário do Supremo julgue ainda hoje o habeas corpus de relaxamento de prisão para o ex-assessor especial de Michel Temer. No dia 6 de junho, o ministro Ricardo Lewandowski negou seguimento (julgou inviável) ao habeas corpus. No mesmo dia, a defesa recorreu. Agora, o advogado Cézar Bitencourt alega que seu cliente está em situação desumana numa espécie de “prisão solitária, onde não toma banho de sol”. Ele está numa sala de transição da Polícia Federal a pedido da própria defesa, que requereu a remoção da Papuda alegando que a vida dele estaria correndo risco. A defesa quer que Rocha Loures vá para prisão domiciliar. Hoje é o último dia de julgamento do Supremo, que entra em recesso em julho.