Decisão de Fachin enfraquece processo contra Dallagnol no CNMP

Decisão de Fachin enfraquece processo contra Dallagnol no CNMP

Coluna do Estadão

04 de agosto de 2020 | 05h00

Foto: Wilton Junior/Estadão

Um dos efeitos da decisão de Edson Fachin de interromper o compartilhamento de dados das forças-tarefa com a Procuradoria-Geral da República deve ser o de enfraquecer, no CNMP, o pedido de afastamento de Deltan Dallagnol da Lava Jato de Curitiba. Tanto Augusto Aras quanto o conselheiro Otávio Luiz Rodrigues têm até amanhã para se manifestar no caso e, apesar de já terem acesso a dados preliminares de Curitiba, não poderão utilizá-los no processo. Na leitura de conselheiros ouvidos pela Coluna, foi esse o objetivo da decisão de Fachin.

A ver. Conselheiros acham que, até o dia 18, quando o caso será analisado no CNMP, a Corte não terá terminado de analisar o tema. Um deles disse que a decisão de Fachin enfraquece, mas não inviabiliza o processo contra Dallagnol.

A ver 2. Entre as forças-tarefa, espera-se que o plenário do STF delibere sobre a unidade e independência funcional do MPF.

Ginástica. Acham, contudo, que, mesmo se a Corte mantiver o entendimento de Fachin, Aras tentará encontrar precedente jurídico para insistir no compartilhamento de informações.

Qualé? Do subprocurador Nívio de Freitas, membro do Conselho Superior do MP: “Espero que o plenário mantenha a decisão de Fachin. Não pode o PGR ficar querendo desconstruir prova produzida pelo Ministério Público. Isso beira o patrocínio infiel”.

Acelera. Com a volta dos trabalhos, o PDT espera que Alexandre de Moraes dê seguimento à ação pela retomada das portarias que aumentavam a rastreabilidade a armas e munição, revogadas por Bolsonaro. A vista do processo, apesar do prazo de cinco dias, está desde junho na PGR.

SINAIS PARTICULARES.
Osmar Terra, deputado federal (MDB-RS)

Kleber Sales

Assim falou…. Com o Brasil perto das 100 mil mortes por covid-19, as previsões de Osmar Terra (MDB-RS) estão definitivamente incorporadas ao rol das maiores barbaridades já ditas por nossos políticos.

…Osmar Terra: “Vai morrer mais gente de gripe sazonal, no inverno, no Rio Grande do Sul”, afirmou o deputado federal, ainda em abril. Perdeu grande chance de ter ficado calado.

CLICK. O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio (PSDB), malhando depois de se curar da covid-19: “Foco na recuperação e no fortalecimento de minha saúde”.

Reprodução/Instagram

Um só… Luiz Felipe d’Avila, fundador e presidente do Centro de Liderança Pública, trabalha numa proposta de reforma tributária juntando os textos defendidos por Senado e Câmara: a PEC 110/2019 e a 45/2019.

…texto. A ideia é aproveitar similaridades e integrá-los numa única proposta em busca do consenso no Congresso. O texto unificado pretende também que se evite a criação de um novo imposto, como sonha o governo com a volta da CPMF batizada de Contribuição sobre Transações (com alíquota de 0,2%).

Com a palavra 1. A Juventude do PT afirma, em nota enviada à Coluna, ter “a mais absoluta certeza de que o compromisso assumido pela ‘presidenta’ Gleisi e pelo conjunto do Diretório Nacional do PT de valorizar as nossas candidaturas será cumprido”.

Com a palavra 2. O PT também negou que a verba destinada às candidaturas femininas do partido neste ano será destinada a custear viagens de dirigentes.

PRONTO, FALEI!

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Simone Tebet, senadora (MDB-MS): “Não é a reforma tributária que tem que pautar o Brasil pós-pandemia. O amanhã mais desigual é que tem de estar na mente e no coração da reforma.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: