Dallagnol se escora em grupo de senadores

Dallagnol se escora em grupo de senadores

Coluna do Estadão

10 de outubro de 2019 | 05h00

Deltan Dallagnol. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

O procurador da República Deltan Dallagnol estreitou sua relação com o “Muda Senado”. A ideia é se contrapor a um movimento de deputados que se aproveitam deste momento de recuo da Lava Jato para enfraquecê-la de vez. Dallagnol se reuniu com senadores do grupo em um hotel em Brasília para debater iniciativas de fortalecimento do Ministério Público e da magistratura. Foram mapeados mais de 600 projetos em tramitação no Congresso, sendo 174 no Senado, que poderiam ter andamento mesmo com a recusa da Câmara em pautá-los.

Sinal vermelho. Entre as pautas que ativaram o alerta da turma, estão a redução das férias de 60 para 30 dias para o Judiciário e procuradores e o fim da aposentadoria compulsória como sanção disciplinar.

Reincidente. Esse não foi o primeiro encontro com a participação de Dallagnol. No fim de outubro, o procurador participou de outro na casa de Juíza Selma.

CLICK. Mesmo em Brasília, o governador do Rio, Wilson Witzel, não deixou de fazer seus exercícios. Antes de iniciar sua agenda, fez caminhada com a mulher.

FOTO: REPRODUÇÃO INSTAGRAM WILSON WITZEL

Xiii. Um dos motivos da impaciência de Bolsonaro com Luciano Bivar é a demora para implementar regras de compliance no PSL.

2020… Também desagrada a Bolsonaro a situação irregular de diversos diretórios municipais do PSL, inclusive o de São Paulo, com contas não prestadas ou rejeitadas pela Justiça.

…é logo ali. Para consolidar o bolsonarismo, o clã familiar aposta em um bom desempenho nas eleições municipais e teme que a desorganização do PSL ameace o plano. Deixar o partido, porém, pode enterrar de vez a estratégia.

Alvo… Na linha de tiro de Jair Bolsonaro e de colegas, o presidente do PSL, Luciano Bivar, só compareceu ao plenário uma vez desde 12 de setembro. Tirou uma licença para tratamento médico e, nos demais dias, consta que estava em “missão autorizada”.

…definido. Carla Zambelli (PSL-SP) explica a nota de apoio a Bolsonaro feita por parlamentares: “Eu acho muito difícil (que o Bivar deixe o partido). Já houve um pedido ao Bivar para que ele se afastasse e entregasse o PSL ao presidente. Como ele já disse que não fará, estamos fazendo esse movimento”.

SINAIS PARTICULARES.
Jair Bolsonaro e Luciano Bivar, presidente da República e presidente do PSL

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Porta… Não será fácil para Joice Hasselmann encontrar um partido forte para disputar a Prefeitura de São Paulo caso ela deixe o PSL. No PSDB, ganha força a cada dia o grupo fechado em torno da candidatura própria, com Bruno Covas, claro, na cabeça da chapa.

…fechada. Geraldo Alckmin faz parte desse grupo. Não quer que façam com Covas o que tentaram fazer com ele em 2001, quando assumiu o governo após a morte do avô do atual prefeito, Mario, e o PSDB quase lhe puxou o tapete da candidatura à reeleição.

Definido. No PSD, Gilberto Kassab avisa: o partido já tem candidato e o nome dele é Andrea Matarazzo.

Há vagas. Nessa dança das cadeiras pré-eleitoral, sobrariam a Joice o DEM, aliado dos tucanos no Estado, e os partidos menores.

A seu tempo. Rodrigo Maia tem defendido no DEM que Eduardo Paes não saia candidato à prefeitura do Rio no ano que vem. Prefere preservar o ex-prefeito, em um período ainda de bolsonarismo muito forte no Estado, para lançá-lo ao governo em 2022.

PRONTO, FALEI!

Lucas Furtado. FOTO: RENATO ARAUJO/ABr

Lucas Furtado, subprocurador-geral da República no TCU: “O Estado não é ‘dono’ da coisa pública, é apenas seu gestor”, sobre recusa do governo em fornecer os custos da campanha do pacote anticrime, no pedido para suspendê-la.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E JULIANA BRAGA. COLABOROU ANDRÉ MARINHO

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: