Cunha nega manobras no Conselho de Ética e critica presidente da comissão

.

Daniel Carvalho

21 de junho de 2016 | 11h57

O presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), voltou a negar ter realizado manobras para postergar o processo contra ele no Conselho de Ética da Casa. Para Cunha, o presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PR-BA), errava propositalmente no intuito de arrastar o processo e manter-se na mídia.

“Desde o primeiro momento, o presidente do Conselho usou de má fé. Ele errava propositalmente”, afirmou. “Por ele, não tenho dúvidas, este processo durava até 2018”, disse Cunha. “Ele erra, descumpre o regimento e eu que manobro”, ironizou, alegando tentativa de lhe “imputar ações que não pratiquei”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: