Cunha diz que não denunciou Wagner à época porque ignorou oferta

.

Daniel Carvalho

21 de junho de 2016 | 12h48

O presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que não denunciou a venda de votos do PT a seu favor por ter refutado a oferta.

Cunha disse que o então ministro da Casa Civil do governo Dilma, Jaques Wagner, ofereceu os votos do PT no Conselho de Ética e ajuda a mulher e à filha do peemedebista na Justiça em troca de o peemedebista não deflagrar o processo de impeachment.

Ao ser questionado sobre os motivos de não ter feito a denúncia à época, disse que não achou necessário porque não aceitou a proposta. “Porque foi por mim refutado, ignorado”, afirmou.

Eduardo Cunha ainda desafiou Jaques Wagner a processá-lo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: