Crise acelera mudança na estratégia de Doria

Crise acelera mudança na estratégia de Doria

Coluna do Estadão

22 de março de 2020 | 05h00

Avenida Paulista estava vazia neste sábado Foto: Werther Santana/Estadão

Os efeitos do covid-19 no País obrigaram João Doria a precipitar uma mudança de postura em relação a Jair Bolsonaro, movimento que o tucano só planejava fazer mais perto de 2022. O governador saiu totalmente da defensiva e passou a “bater” (no jargão da política) no presidente. Até bem pouco, ele engolia em seco ou dava repostas “republicanas” aos ataques. Num modo subliminar, porém, também perceptível, Doria tenta fixar, ao se dedicar integralmente às ações de combate ao vírus, a imagem de líder ágil e atento, em contraponto a Bolsonaro.

Até aqui… A capacidade de comunicação de João Doria (ex-apresentador de TV) tem ajudado o governador, mas ainda é cedo para qualquer previsão eleitoral, avaliam analistas. O futuro dependerá de como se dará o avanço da pandemia em São Paulo e no País.

…tudo bem. Por ora, as primeiras sondagens indicam que o presidenciável tucano vem sobrevivendo à máquina de moer reputações políticas em que o coronavírus de transformou.

SINAIS PARTICULARES
João Doria, governador de São Paulo

Ilustração: Kleber Sales

Ladeira? Pesquisas encomendadas por partidos para consumo interno indicam que Bolsonaro derrete no Nordeste: a rejeição ao presidente sobe nos grandes centros e nas cidades com até 50 mil habitantes.

Análise. Para um dirigente, o resultado mostra que o governo, que ainda não havia conseguido falar ao coração dos nordestinos, passará por maus bocados na região daqui pra frente.

Análise 2. Outra avaliação é de que o voto anti-PT, determinante para eleger Bolsonaro, está migrando para o centro. O vazio de opções nesse espectro, porém, pode devolver esses apoios para a esquerda.

Opa. Os panelaços contra o presidente acenderam um sinal na Câmara. Líderes dizem que o Parlamento está muito associado à figura de Rodrigo Maia, um tanto desgastada pelos ataques intensos dos bolsonaristas.

Opa 2. Mesmo no caso de uma revolta contra Bolsonaro, acham que Maia pode não conseguir capitalizar para o Parlamento a insatisfação com o presidente.

Lembra de mim. Por isso, esses líderes insistem que Maia deveria “se despir de vaidade” e dividir o poder e o protagonismo na Câmara, principalmente entre seus os aliados mais próximos.

Ajuda… Deputados também começam a pressionar pela contratação de uma agência de comunicação externa que possa melhorar a imagem da Casa.

…externa. Argumentam que, embora a Câmara tenha TV, rádio e servidores na assessoria de comunicação, falta uma empresa especializada em imagem.

CLICK. O senador Jean Paul Prates (PT-RN) curtiu a primeira sessão virtual de votação do Senado. Ele considerou o esquema fácil e bom por permitir o isolamento.

Divulgação

Girl… Com mais de 13 mil inscritos e 700 aprovados, o RenovaBR Cidades tem participação de 35% de mulheres, maior número de alunas em cursos de formação realizados pela escola.

…power. “O crescimento da presença feminina é motivo para comemorar, mas também nos mostra que há espaço para crescimento. Vamos trabalhar para inspirar ainda mais mulheres a participar da vida política”, diz Irina Bullara, diretora executiva do RenovaBR.

PRONTO, FALEI!

Foto: Facebook/Aécio Neves

Aécio Neves, deputado federal (PSDB-MG): “É preciso que se tome providências urgentes para proteger os mais carentes. Falar em álcool gel e isolamento para quem vive precariamente é acintoso”.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. 

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.