CPI vê carta como 1ª ‘prova’ de omissão

CPI vê carta como 1ª ‘prova’ de omissão

Coluna do Estadão

05 de maio de 2021 | 05h00

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta durante depoimento na CPI da Covid Foto: JEFFERSON RUDY / AGÊNCIA SENADO

A despeito de seu potencial “viralizante” , a afirmação de Luiz Henrique Mandetta de que Jair Bolsonaro queria um decreto para incluir covid-19 na bula da cloroquina, a sala de comando da CPI se animou mesmo foi com a carta enviada pelo ex-ministro da Saúde ao presidente da República, considerada a primeira “prova” da omissão de Bolsonaro e um forte indicativo de que ele jogou contra o ministério no início da pandemia. Sobre a “bula”, a avaliação do Planalto é singela: crise natimorta porque Mandetta não mostrou indícios nem evidências.

Pegue o bastão. No documento de março de 2020, Mandetta pediu a Bolsonaro a revisão de postura na pandemia e alertou sobre a possibilidade de uma mortandade. Pode até não ser uma prova, mas, para efeito de relatório final, é um primeiro tijolo rumo à responsabilização de Bolsonaro. A bola agora está com Nelson Teich.

Calma aí, pô. A interlocutores, Flávio Bolsonaro disse não ver motivos suficientes para eventual convocação de seu irmão Carlos, citado por Mandetta como participante de reuniões.

Auxílio no zap. Ex-secretário de Mandetta na Saúde, Wanderson Oliveira disparava comentários e informações complementares ao depoimento do ex-ministro no WhatsApp.

Se… Sem citar nomes, Mandetta falou da turma que municiava o presidente com informações equivocadas sobre a pandemia. Muita gente da CPI entendeu tratar-se do deputado Osmar Terra (MDB-RS).

…liga. O líder do PT no Senado, Rogério Carvalho (SE), prepara pedido de convocação do deputado federal, que deve ser apresentado nos próximos dias.

Munição. Renan Calheiros (MDB-AL) arregimentou quatro técnicos do Senado para ajudar a confecção do relatório que será entregue no final das investigações.

Cada um na sua. Nova ordem do Planalto: Luiz Eduardo Ramos coordenará os ministérios e Flávia Arruda, a articulação política.

Seu garçom. Presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM) diz que as declarações polêmicas de Paulo Guedes são “conversa de botequim”. A ver.

SINAIS PARTICULARES.
Paulo Guedes, ministro da Economia

Fica… A tentativa de Jair Bolsonaro de se aproximar de José Sarney esbarra também em questões regionais. O Maranhão foi o único Estado onde houve troca do comando estadual do MDB, partido do ex-presidente, na semana passada.

…difícil. Roseana Sarney assumiu o comando no Maranhão. Será candidata a deputada federal e apoiará o nome indicado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) para sua sucessão.

CLICK. Em meio a 400 mil mortos na pandemia, a deputada Alê Silva (PSL-MG) grava vídeo de dancinha para o TikTok no Salão Verde da Câmara, sem máscaras.

Renda. A centrais sindicais, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) se comprometeu a criar comissão parlamentar mista, com a participação de representantes sindicalistas e do setor produtivo, para discutir medidas de retomada do emprego e renda. Arthur Lira (PP-AL) já topou também.

EAD. O senador Rogério Carvalho (PT-SE) apresentou emendas ao projeto que torna educação serviço essencial, para garantir a vacinação dos professores e condição digna de aula remota, como tablets para os alunos. O PL tem, claro, apoio do governo.

Timing. Para o professor José Eduardo Faria (USP) há “risco de curto-circuito” com a votação de uma nova Lei de Segurança Nacional (LSN) neste momento conturbado do País.

Trincheira. A Câmara aprovou ontem o texto, que segue para o Senado. Votaram contra PSL e PSOL.

Timing 2. “Significará sobrecarregar ainda mais o momento”, afirmou o jurista, em um debate organizado pela Raps com o canal UM Brasil, da FecomercioSP.

PRONTO, FALEI!

Carlos Lupi, presidente do PDT Foto: André Dusek|Estadão

Carlos Lupi, presidente do PDT: “Pazuello diz que não pode comparecer à CPI por medo de infectar os parlamentares. Ele não teve o mesmo medo ao andar no shopping sem máscara.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E MARIANNA HOLANDA.

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.