CPI da Petrobras abre racha nos partidos do Centrão na Câmara

CPI da Petrobras abre racha nos partidos do Centrão na Câmara

Julia Lindner

22 de junho de 2022 | 12h06

A criação da CPI da Petrobras provocou uma divisão explícita entre PP e PL, principais partidos do Centrão na Câmara dos Deputados. A Comissão Parlamentar de Inquérito depende de 171 assinaturas para avançar, mas empacou em menos de 130. Uma das razões é que o PP, com 56 integrantes, desistiu de apoiar o colegiado.

O plenário da Câmara.

Líder do PL na Câmara, o deputado Altineu Côrtes (RJ), autor do requerimento de criação da CPI, disse que o recuo do partido aliado é “muito ruim”. “Infelizmente o PP não manteve a palavra que foi dada na reunião de líderes para apoiar o desejo do presidente Bolsonaro”, afirmou Côrtes à Coluna, acrescentando que segue empenhado em reunir as assinaturas necessárias.

Em caráter reservado, líderes do PP justificam que, por ora, é possível manter a CPI na iminência de ser criada como forma de deixar “a faca no pescoço” dos diretores da Petrobras, e enquanto isso aguardar para ver como será a postura do novo comando da estatal.

Tudo o que sabemos sobre:

CPI; PetrobrasCentrãoPPPL

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.