CPI da Covid mira negócios da ivermectina durante a pandemia no Brasil

CPI da Covid mira negócios da ivermectina durante a pandemia no Brasil

Alberto Bombig e Matheus Lara

10 de agosto de 2021 | 05h00

Um grupo de integrantes da CPI da Covid vai se debruçar nesta semana sobre o lado financeiro envolvendo a ivermectina. Quem lucrou, como, quanto, por quais meios e como o Ministério da Saúde pode ter tido relação com isso. Essas são algumas perguntas na mesa de senadores.

Para a senadora Simone Tebet (MDB-MS), a CPI avança para um momento em que o crucial é mapear, na estrutura governamental e empresarial, os passos de quem tentou se aproveitar. Como na fábula de Esopo, os ratinhos decidem identificar as ameaças. “É hora de colocar o guizo no pescoço dos gatos.”

Amanhã, os senadores ouvem Jailton Batista, sócio da Vitamedic. Ele deve falar sobre as vendas do “kit covid”, um conjunto de medicamentos sem eficácia comprovada contra o coronavírus.

De acordo com a relatórios enviados à CPI, só as vendas da ivermectina saltaram de 24,6 milhões de comprimidos em 2019 para 297,5 milhões em 2020 — um crescimento superior a 1.105%. O preço médio da caixa com 500 comprimidos subiu de R$ 73,87 para R$ 240,90.

Foto: Gabriela Biló/Estadão

Tudo o que sabemos sobre:

CPI da Covid

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.