Covas reluta em se aproximar de Joice agora

Covas reluta em se aproximar de Joice agora

Coluna do Estadão

01 de dezembro de 2019 | 02h00

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, ao lado do governador João Doria Foto: Werther Santana/Estadão

A despeito da boa relação entre ambos, os tucanos João Doria e Bruno Covas mantêm visões divergentes quanto à eleição de 2020. O governador permanece convencido de que o eleitor novamente buscará uma alternativa à direita para comandar a capital de SP, enquanto o prefeito guarda dúvidas a esse respeito. Bruno, por enquanto, reluta em se aproximar politicamente de Joice Hasselmann (PSL), como sonha Doria, e mantém aberta sua vaga de vice, ainda mais agora que pesquisas indicam um viés de alta de sua candidatura à reeleição.

Sondagens eleitorais. A Prefeitura paulistana teve acesso a pesquisas que mostraram o crescimento da candidatura Bruno Covas após o prefeito ter tornado público o tratamento contra um câncer no estômago.

Futuro. Aliados de Bruno Covas dizem que o prefeito não tem nada contra Joice, pelo contrário, até porque o PSL possui bom tempo de TV. O DEM, no entanto, segue como a primeira opção em termos de aliança.

Futuro 2. Se o rumo for à direita, Celso Russomanno também estará no páreo.

Em alta. No campo da centro-esquerda, a sensação em São Paulo é de que o “gelo foi quebrado” na relação entre Marta Suplicy (sem partido) e o PT após Lula ter deixado a prisão.

CLICK. Gabriel Chalita (à esq.), Ana Estela Haddad, Marta Suplicy (de costas) e o ex-governador Márcio França, em jantar recente do grupo jurídico Prerrogativas.

Namoro. Outro fator que anima os petistas, enquanto definem seu candidato, são as conversas com Gabriel Chalita (PDT) e com o ex-governador do Estado Márcio França (PSB).

Sem vácuo. Após o racha no PSL, Marcelo Freitas (MG), Felício Laterça (RJ) e Coronel Tadeu (SP) disputam a vaga que seria de Bia Kicis (DF) na CCJ caso a deputada não tivesse migrado para a Aliança.

Parceria? No aval dado pelo TCU para a renovação antecipada da concessão de ferrovias da malha paulista, o tribunal determina que o Ministério da Infraestrutura, em conjunto com a ANTP, articule com o governo de SP as melhorias para a implantação do tão sonhado Trem Intercidades.

Fora dos trilhos. A composição de passageiros, ligando SP a Campinas, é uma das prioridades do governador João Doria, hoje estremecido com Bolsonaro.

Lembrete. O secretário de Educação da capital paulista, Bruno Caetano, enviou ofício ao presidente do Corinthians, o ex-deputado Andrés Sanchez, solicitando informações sobre o repasse de R$ 1,5 milhão que o clube deveria ter feito para entidades educacionais.

SINAIS PARTICULARES.
Andrés Sanchez, presidente do Corinthians

Lembrete 2. Conforme acordo com o Ministério Público, o Corinthians, em situação financeira delicada, tem de repassar o dinheiro para a rede educacional da capital em troca do uso do terreno onde mantém seu CT. São Paulo e Palmeiras estão na mesma.

Regras. O PSD deve apresentar no Congresso um projeto para a criação de um Código de Processo Tributário. O partido do ex-ministro Gilberto Kassab entende que falta organização para os processos da área.

Com a palavra. O escritório do advogado José Roberto Batochio afirma que não teve qualquer espécie de atuação no caso da Castelo de Areia e da empreiteira Camargo Corrêa e que desconhece completamente as citações a ele na delação de Antonio Palocci Filho.

BOMBOU NAS REDES!
Fernando Henrique Cardoso
Ex-presidente da República

“No Brasil, vejo ataques do governo à liberdade da mídia e a ONGs, contra a letra da Constituição. Calar é dar espaço à volta do autoritarismo.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA

Tendências: