Correios trocam vice a 26 dias do fim do governo

Correios trocam vice a 26 dias do fim do governo

Coluna do Estadão

06 Dezembro 2018 | 05h30

A menos de um mês do fim do governo Temer, os Correios vão trocar o vice-presidente comercial. Francisco Gutemberg ficará 26 dias no cargo e, caso seja substituído no governo do presidente Jair Bolsonaro, poderá requisitar quarentena e receber seis meses de salário de cerca de R$ 40 mil sem trabalhar. Ex-prefeito de Lucrécia (RN), Gutemberg é ligado ao deputado federal Fabio Faria (PSD-RN), colega de partido do ministro das Comunicações, Gilberto Kassab. O presidente dos Correios, general Juarez Cunha, teria votado contra a indicação.

Polêmica na firma. Dos seis votos no Conselho de Administração dos Correios, dois foram contra. O conselheiro Maurício Lorenzo justificou que Gutemberg não tem experiência na área. “É uma indicação de natureza exclusivamente política”, afirmou.

Com a palavra. O presidente dos Correios, general Juarez Cunha, disse que a reunião é sigilosa e não comentaria seu voto. O ministro Gilberto Kassab não ligou de volta.

Lá… A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) enviou representantes para a COP24, Conferência das Partes do regime internacional de mudança do clima, na Polônia.

…e cá. No encontro, serão discutidas ações para implementar o Acordo de Paris. O presidente da CNA, João Martins, rebate críticas do presidente eleito Jair Bolsonaro ao tratado e diz que não vê motivos para o Brasil abandoná-lo.

Malas prontas. Ao deixar a Secretaria de Governo em 31 de dezembro, o ministro Carlos Marun vai reassumir o mandato de deputado na Câmara no dia 1.º de janeiro de 2019. Terá foro privilegiado por mais um mês.

Passa bem. O que tirou o superministro da Economia de Jair Bolsonaro, Paulo Guedes, dos trabalhos da transição de governo esta semana não foi pneumonia. A aliados, Guedes brinca ter sido infectado pelo “vírus da política em Brasília”. Ele está em repouso no Rio.

Pelo estômago. Depois de alimentar Michel Temer, Fábio Ramalho (MDB) agora leva comidinhas para Bolsonaro. Na terça, ofereceu queijo e pé de moleque. O presidente eleito provou o queijo.

SINAIS PARTICULARES: Fábio Ramalho (MDB-MG), vice-presidente da Câmara dos Deputados; por Kleber Sales

Esquece. Michel Temer adiantou a deputados que não vai prorrogar para depois de dezembro a adesão do Refis do Funrural. O presidente também disse que vai vetar os jabutis incluídos pelo Congresso no programa Rota 2030.

Zero ou um. O Centrão está com dificuldades de montar o quebra-cabeça para a disputa pelo comando da Câmara. Todos os partidos pleiteiam espaço na Mesa Diretora, mas só há sete cadeiras. O único consenso é o apoio a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ).

CLICK. Temer se queixou a aliados de, no mesmo dia em que recebeu Raquel Dodge no Planalto, ter sido acusado por ela à tarde de crimes em recurso ao Supremo.

FOTO: CLAUBER CLEBER CAETANO/PLANALTO

 

Pelas costas. O presidente se ressentiu de ter prestigiado a procuradora-geral no evento colocando-a ao seu lado no palanque.

Planos. Em reunião com partidos esta semana, Bolsonaro voltou a defender a extinção do Ministério Público do Trabalho. Aos tucanos, ontem, disse que a estrutura da instituição precisa ser repensada.

Me sigam. À bancada do PRB na Câmara, anteontem, Bolsonaro pediu apoio para implementar a agenda pelo fim do MPT.

PRONTO, FALEI! 

FOTO ALEX SILVA/ESTADAO

“Acho que não. Cada momento é um momento. Você não pode prender-se ao passado”, DO PRESIDENTE MICHEL TEMER à TV Brasil sobre se sentirá saudades da presidência da República.

COM NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABOROU VERA ROSA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao