Construtora acusa TCU de ‘chantagem’ e ‘ameaça’

Construtora acusa TCU de ‘chantagem’ e ‘ameaça’

Luiza Pollo

30 Janeiro 2018 | 05h30

Foto: André Dusek/Estadão

A construtora Andrade Gutierrez relatou ao Supremo ter sofrido “chantagem” e “ameaça” pelo Tribunal de Contas da União (TCU) no processo que apura prejuízos na construção da usina de Angra 3. A empreiteira tentou convencer a Corte de que o TCU quis obrigá-la a admitir prática de corrupção, desconsiderando acordo de leniência celebrado com o Ministério Público, em troca de suspender processo que pode levar à sua inidoneidade. O mandado de segurança da empreiteira foi negado pela presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia.

Palavras ao vento. A presidente do STF escreveu na decisão que a empreiteira não apresentou provas da “alegada ameaça por parte do Tribunal de Contas e seus ministros ou mesmo da suposta pretensão de chantagear a empresa”.

Canetada. A área técnica do TCU já concluiu que houve superfaturamento de R$ 530 milhões na construção da usina e recomendou o bloqueio dos bens da Andrade até esse valor, alegando que a empreiteira não colabora com a Corte.

Novidade. É a primeira vez que os auditores pedem o bloqueio de bens de empresa que fez acordo de leniência. O relator, ministro Bruno Dantas, vai ouvir o MP junto ao TCU antes de decidir.

Com a palavra. A Andrade Gutierrez disse que não comenta o assunto.

Na trave. O afastamento dos quatro vice-presidentes da Caixa afetou também o futebol brasileiro. É que, sem os responsáveis, as reuniões quedecidem sobre patrocínios para os times estão paralisadas.

Bola murcha. Só em 2017, a Caixa gastou cerca de R$ 130 milhões com times de futebol. O valor de 2018 ainda não foi definido. A Caixa não se manifesta.

Palanque. O ministro Gilberto Kassab conseguiu irritar a base aliada ao levar só parlamentares que votam contra o governo para evento do Ministério da Ciência e Tecnologia na Bahia.

Confuso. As queixas chegaram ao ministro Carlos Marun, da articulação política. “Não sei se o Otto Alencar e os outros que foram são hipócritas, oportunistas ou se estão se aproximando do governo”, atacou.

Simples assim. A quem lhe faz a pergunta se o PSDB vai abrir mão de candidatura própria ao governo paulista para apoiar o vice-governador Márcio França (PSB), o prefeito de São Paulo, João Doria, responde: “Não!”

 

SINAIS PARTICULARES: Márcio França, vice-governador de São Paulo pelo PSB

Por aí. As caravanas de Lula pelo Brasil ao longo e 2017 custaram R$ 93,7 mil aos cofres públicos. Esse é o gasto com passagens e diárias só dos seguranças que o acompanharam. Como ex-presidente, Lula tem direito aos assessores.

CLICK. O pedido de informação ao TRF-RJ que revelou pagamento de auxílio-moradia ao juiz Marcelo Bretas e sua mulher partiu do procurador Carlos André Studart.

FOTO: Facebook Carlos André Studart Pereira

Guerra de classes. O procurador disse que resolveu solicitar a informação depois de assistir a uma entrevista de Bretas no programa Conversa com Bial, da TV Globo. “Não é nada pessoal, mas essas pessoas acabam servindo de exemplo”, disse ele.

LEIA MAIS: Procurador da AGU é autor do pedido que revelou auxílio-moradia de Bretas

Não deu. Studart já foi filiado ao Partido Novo. Saiu depois que a sigla decidiu apoiar a reforma da Previdência. “Sou contra as mentiras que contam para aprová-la”, diz. Em 2016, apoiou o colega Fredy Bezerra, candidato pelo PSDB a vereador em Fortaleza.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Leonel Rocha

“O cronograma de votação da reforma da Previdência está mantido. Discute-se à exaustão e vota-se depois do carnaval. Temer diz que tem de ir para o voto”, DO DEPUTADO PAUDERNEY AVELINO (DEM-AM). 

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E LEONEL ROCHA

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão