Congresso e governo na corrida para cumprir prazo do STF sobre dados do orçamento secreto

Congresso e governo na corrida para cumprir prazo do STF sobre dados do orçamento secreto

Camila Turtelli e Matheus Lara

07 de fevereiro de 2022 | 05h00

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal. Foto: Divulgação/STF.

Além de ignorar o STF e fazer uma transparência seletiva nos dados da nova leva de recursos do orçamento secreto, como mostrou o Estadão no sábado, 5, parlamentares ainda não se movimentaram, após quase 60 dias, para explicar ao tribunal dados do passado. O prazo que a ministra Rosa Weber deu ao Congresso e ao governo para dar publicidade aos repasses se esgota no início de março. Até agora, o Legislativo não publicou nada anterior à entrada do STF no caso, referente a anos anteriores. No poder Executivo, apenas o ministério da Defesa. Rosa chegou a suspender a liberação de novos pagamentos, mas recuou diante da promessa do Congresso de dar transparência aos repasses.

CALMA. O Ministério do Desenvolvimento Regional disse que irá cumprir o prazo para publicação dos documentos até 9 de março. Já o da Saúde se limitou a enviar um link de um site que não revela o nome dos autores por trás das indicações do relator-geral, como havia sido determinado pelo STF.

PARA TRÁS. Até o momento, não foram divulgadas informações das planilhas de Domingos Neto (PSD-CE) e Marcio Bittar (PSL-AC), relatores de 2020 e 2021, respectivamente, que contêm detalhes sobre o destino de dezenas de bilhões liberados antes da liminar do Supremo.

HUB. Criado por dissidentes do PSL após a filiação de Bolsonaro no partido em 2018, o movimento Livres construiu uma nova sede em que pretende contribuir para o debate sobre liberalismo no Brasil: a Casa Livres, inaugurada em São Paulo.

A economista Elena Landau (de máscara azul, à esquerda) junto com integrantes da diretoria do Livres na inauguração da Casa Livres, em São Paulo. Foto: Gustavo Oliveira/Livres.

SERÁ? Há quem duvide que o namoro entre PT e PSB terá mesmo um final feliz. Para um grupo de socialistas, o partido de Carlos Siqueira só tem a perder nessa possível federação, principalmente em 2024, quando as siglas terão de se acertar sobre disputas de prefeituras.

FICA DE OLHO. Uma das tentativas de acordo para esta questão prevê que terá preferência aqueles que forem disputar a reeleição. Ainda assim, pessebistas fazem questão de lembrar que a postura irredutível do PT em negociações pode não ser um bom sinal.

CLICK. Márcio França, ex-governador de São Paulo

Pessebista (esq.) se encontrou com Guilherme Boulos (PSOL) e registrou nas redes papo sobre o escritor Ariano Suassuna, presidente de honra do PSB.

PAPO. O pré-candidato do Novo à Presidência, Felipe d’Avila, esteve ontem, 6, com Gilberto Kassab (PSD). O presidenciável tem buscado dirigentes partidários e apresentado sua proposta de carbono zero. Antes de Kassab, Felipe d’Avila esteve com Baleia Rossi (MDB) e Renata Abreu (Podemos).

FIM DE… Com um pacotão de questões eleitorais e o fantasma da ameaça às eleições, o presidente do STF, ministro Luiz Fux, vai precisar calibrar bem a balança para manter o equilíbrio entre os Poderes.

…FÉRIAS. Em seu discurso na reabertura dos trabalhos do Judiciário após o recesso, o magistrado pediu moderação e falou sobre os efeitos da narrativa do “nós contra eles”.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Luiz Fux, presidente do STF

PRONTO, FALEI! Atila Iamarino, biólogo e divulgador científico

“Falam ‘cansei de máscaras’. As pessoas ‘cansam’ de cinto de segurança também. Temos resistência a medidas mesmo quando são necessárias. Para isso servem leis”

COLABOROU BRENO PIRES.

ALBERTO BOMBIG ESTÁ DE FÉRIAS E RETORNA À ‘COLUNA DO ESTADÃO’ NO DIA 16 DE FEVEREIRO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.