Como grande, PSL vive dissidência de nanico

Como grande, PSL vive dissidência de nanico

Coluna do Estadão

20 de outubro de 2020 | 05h00

Foto: Adriano Machado/REUTERS

Em sua primeira eleição na condição de partido grande, o PSL enfrenta defecções em algumas capitais importantes típicas dos nanicos e que podem ampliar o tumulto interno da legenda. No Rio, parlamentares bolsonaristas já estão na campanha de Marcelo Crivella (Republicanos), em detrimento de Luiz Lima. Luciano Bivar, presidente do PSL, minimiza as “traições”, mas admite tratar-se de “um desconforto para o partido”. Ainda assim, disse acreditar que, no balanço final, as cizânias serão inferiores aos bons resultados das urnas para o PSL.

Pif. Destinatário de R$ 199 milhões do fundo eleitoral, o PSL não tem nome despontando nas capitais.

Tem de pedalar. Em São Paulo, o fraco desempenho de Joice Hasselmann nas pesquisas desmotiva o PSL e provoca defecções.

Calma. Mesmo com as dissidências, Bivar contemporiza. “Quem está fazendo isso não está sendo um bom companheiro partidário, mas o voto é secreto, podem mudar de opinião lá na frente”, afirmou ele.

Calma 2. Ainda não há qualquer previsão de punição aos “infiéis” do PSL.

Atenção. Marcelo Crivella está procurando os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para despachar pessoalmente sobre a votação de amanhã que decidirá se mantém ou não a encampação da Linha Amarela pela prefeitura do Rio.

Atenção 2. Se a decisão for desfavorável à Lamsa, concessionária responsável pela administração da via expressa, criará precedente perigoso para concessões de todo o Brasil: segurança jurídica e respeito aos contratos são fatores primordiais para o setor privado.

Rádio… Em live do canal Um Brasil, da Fecomercio-SP, com a Brazilian Student Association (Brasa), a ministra Cármen Lúcia, do Supremo, foi questionada sobre como a opinião pública interfere nos julgamentos da Corte.

…táxi. “Canso de entrar em táxi e o taxista comentar: não gostei daquela decisão sua, naquele caso tal ou qual. Faz parte. Isso não altera na hora do julgamento, porque o voto é pensado, posto e exposto de forma motivada”, disse ela.

SINAIS PARTICULARES.
Cármen Lúcia, ministra do Supremo Tribunal Federal

Ilustração: Kleber Sales

Revolta da… Presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Carlos Lula, chamou de “surreal” e “sem sentido” a discussão sobre obrigatoriedade da vacina contra o coronavírus.

…vacina. Disse Lula: “A gente não pode regredir no debate em um século e passar a ter uma noção de liberdade equivocada e rasteira. O pior, porém, é o presidente ter sancionado uma lei no início deste ano prevendo que, mais do que obrigatória, a vacina poderia ser até compulsória. Ele não leu a sua própria lei?”

Panos quentes. O presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Mauro Luiz de Britto Ribeiro, evitou tomar partido: “Mais uma vez o debate está completamente politizado, assim como foi com a cloroquina. A questão está antecipada, nem tem vacina ainda”, afirmou. O conselho já se alinhou a Jair Bolsonaro em episódio recentes.

CLICK. João Doria em visita à Caverna do Diabo, no Vale do Ribeira, onde esteve no fim de semana e anunciou R$ 100 milhões em investimentos para a região.

Coluna do Estadão

 

Voltando. O Ministério Público Federal e o Ministério da Justiça conseguiram repatriar cerca de R$ 25,3 milhões da Operação Lava Jato. O dinheiro estava guardado na Suíça.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Valéria Gonçalves/Estadão

Paulo Hartung, economista e ex-governador do Espírito Santo: O País vive um impasse: a economia sem tração, o desemprego aumentando e os líderes políticos esperando o fim das eleições, ou alguma solução mágica.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. 

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.