Com federação aprovada, Cidadania pressiona PSDB por ‘limpa’ de bolsonaristas

Com federação aprovada, Cidadania pressiona PSDB por ‘limpa’ de bolsonaristas

Camila Turtelli e Matheus Lara

24 de fevereiro de 2022 | 05h00

Deputada Mara Rocha (PSDB-AC) discute com delegados do PSDB durante votação das prévias do partido em novembro de 2021, em Brasília. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Lideranças do Cidadania têm pressionado a direção do PSDB a tomar posição mais firme internamente sobre bandeiras do bolsonarismo, como as críticas ao voto eletrônico, que ainda encontram endosso entre tucanos. A intenção é pressionar pela saída de quadros simpáticos ao presidente da República, Jair Bolsonaro. Após aprovar federação com os tucanos, integrantes da cúpula do Cidadania avaliam que o PSDB precisa aproveitar a janela partidária para se distanciar definitivamente do bolsonarismo e de seus defensores. Na prática, o recado dado é que o partido não quer correr o risco de, no fim de maio, a hora do “sim” ao casamento de quatro anos na federação, chegar ao “altar” com dúvidas.

DE NOVO ISSO? Após a deputada Mara Rocha (PSDB-AC) questionar o sistema eletrônico na Câmara, o presidente do Cidadania, Roberto Freire, disse à Coluna que seu partido se manterá intransigente na defesa da urna eletrônica.

CHEGA. “A tese do voto impresso é palavra de ordem bolsonarista e golpista. O Cidadania confia no sistema da urna eletrônica e no nosso Poder Judiciário eleitoral”, disse Freire.

VAI RESOLVER. A interlocutores, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, tem dito não se preocupar com a questão porque acredita que os mais radicais sairão por iniciativa própria ou vão se enquadrar.

LETRA. Tabata Amaral (PSB-SP) lança seu livro ‘Nosso Lugar – o caminho que me levou à luta por mais mulheres na política’, hoje em São Paulo.

ELAS. O MDB lança nesta quinta-feira, 24, uma campanha de filiação só para mulheres, no dia em que se comemoram os 90 anos de aprovação do direito ao voto para elas. Por causa da pandemia, o evento ocorrerá de forma remota.

COMBINADO. Durante a gestão do ministro Luís Roberto Barroso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fez acordo com o MDB em que o partido se obriga a ter 30% de dirigentes mulheres em todos os diretórios.

CLICK. Bibo Nunes, deputado federal (União Brasil-RS)

Parlamentar participou de jantar com lideranças do PL com o senador Flávio Bolsonaro (PL) e outros quadros do União Brasil que devem trocar de sigla.

RODADA. O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), relator do PL das Fake News, conversou com as bancadas do PSDB e Cidadania ontem. Falta agora a do Republicanos.

VAI. Orlando tem a promessa do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de que o texto irá a plenário ao final dessas conversas com as bancadas.

PRESTA… O ex-governador Márcio França (PSB-SP) quer colocar na ponta do lápis cada detalhe das pesquisas de intenção de voto para o Bandeirantes que citam seu nome e o de Fernando Haddad (PT). A rejeição ao petista no Estado deve ganhar atenção especial.

…ATENÇÃO. Se conversas com a direção do PT não surtiram efeito, França agora aposta nos números para tentar convencer a sigla a abrir mão da pré-candidatura de Haddad.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Márcio França, pré-candidato do PSB ao governo de São Paulo

INVESTIGAÇÃO. Bem menos “badalada” que a CPI da Covid no Senado em 2021, a CPI da Prevent Senior da Câmara Municipal de São Paulo avança os trabalhos e ouve hoje, 24, membros da diretoria executiva da operadora de saúde.

INVESTIGAÇÃO 2. Pedro Benedito Batista Júnior, diretor-executivo da empresa, será um dos interrogados na Câmara. Aos senadores em setembro, ele admitiu que a operadora alterou fichas de internados para trocar o registro de covid-19 por outra doença. O também executivo Sérgio Lotze, o médico Álvaro Razuk e a gerente de TI Suzana Lara também prestam depoimento.

PRONTO, FALEI! Hamilton Mourão, vice-presidente da República

“Censurar a imprensa e o que os brasileiros falam nas mídias sociais, como deseja o ex-presidente Lula (PT), é um ato criminoso. Nossa democracia é livre.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.