CNMP aplica pena de suspensão a promotor que compartilhou mensagem de ataque a Gilmar Mendes

CNMP aplica pena de suspensão a promotor que compartilhou mensagem de ataque a Gilmar Mendes

Marianna Holanda

02 de dezembro de 2020 | 16h34

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, no plenário da Corte durante sessão por videoconferência. Foto: Fellipe Sampaio /STF

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) determinou a suspensão por 30 dias, não remunerada, do promotor de Goiás Fernando Aurvalle da Silva Krebs, que compartilhou mensagem com ataques indiretos ao ministro Gilmar Mendes.

O CNMP vai ainda enviar o caso para a Procuradoria-Geral da República apurar crime contra a Lei de Segurança Nacional.

Krebs compartilhou no Twitter, em 2019, uma publicação que endossava declaração do ex-PGR Rodrigo Janot de assassinar Gilmar Mendes.

“Quem somos nós para julgar Janot. O homem chegou mais perto de fazer a vontade do povo do que qualquer um”, dizia o texto compartilhado por Krebs.

A suspensão se deu porque o promotor era reincidente: no ano passado, ja havia sido punido com censura pelo CNMP por ter chamado, em uma entrevista, o ministro do Supremo de “laxante”.

No julgamento do conselho nesta quarta-feira, 2, a defesa de Krebs alegou que não havia intenção de ofender o ministro e que o promotor, na época da publicação, passava por um tratamento de saúde.

Por 10 votos a 1, prevaleceu o entendimento do conselheiro Luciano Maia de que houve “descumprimento dos deveres de manter conduta ilibada e irrepreensível na vida pública e particular, guardando decoro pessoal e de zelar pelo prestígio dos Poderes da União (…), respeitando suas prerrogativas e a dignidade de seus integrantes”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.