Ciro com DEM e PP mata Alckmin, dizem aliados do tucano

Ciro com DEM e PP mata Alckmin, dizem aliados do tucano

Coluna do Estadão

11 Junho 2018 | 05h30

SINAIS PARTICULARES: Ciro Gomes, pré-candidato ao Planalto pelo PDT; por Kleber Sales

Defensores da candidatura de Geraldo Alckmin ao Planalto estão apavorados com a possibilidade de o presidenciável Ciro Gomes fechar uma aliança que lhe garanta um tempo razoável de propaganda eleitoral na TV. Quadros do PSB, PPS e PTB acompanham com atenção as conversas do DEM e do PP com o pedetista, que vão se intensificar nas próximas semanas. Se o casório sair, lideranças políticas dizem que Ciro ocupará o centro e implodirá a campanha do tucano. Alckmin ainda não conseguiu apoio e sobrará pouca opção com capilaridade.

Só papo. PPS, PSD e PTB já sinalizaram apoio a Alckmin, mas a decisão mesmo só sairá na convenção, de julho a agosto. Até lá é só promessa. O PSB vai iniciar conversas com a presidenciável Marina Silva (Rede) nesta semana. A tendência, contudo, é ficar neutro.

Recalculando. As conversas de Ciro Gomes com DEM e PP, que podem levá-lo para o centro, ocorrem depois de o PT definir que terá candidato próprio. O ex-governador do Ceará tentou ser o nome de Lula.

Só virar a chave. Quem conhece Ciro Gomes de outras campanhas garante que ele não terá dificuldades para adaptar o discurso de candidato da esquerda para o de centro-esquerda.

O preferido. O PT torce para enfrentar Jair Bolsonaro no 2.º turno. Interlocutores do partido apostam que, nessa fase da disputa, será todo mundo contra o nome do PSL.

Apoio âncora. Ao mostrar que o presidente Temer é rejeitado por 82% dos eleitores, o Datafolha reforçou o discurso da ala do MDB contrária à candidatura própria ao Planalto. O grupo acha que Henrique Meirelles sairá ‘devendo voto’ quando tiver a imagem associada à de Temer.

É por gratidão. O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), que concorre à reeleição, garantiu aos tucanos que não há chances de ele retirar o apoio pessoal ao presidenciável Geraldo Alckmin. Só chegou onde está graças ao tucano.

Mágica. Há questionamentos sobre até quando Alckmin, que tem de 6% a 7% das intenções de votos, terá dois palanques em SP.

Eu quero. Dezenove Estados entrarão no Supremo Tribunal Federal para abocanhar parte da arrecadação da Desvinculação das Receitas da União (DRU), receita que hoje é exclusiva do governo federal.

…Tô indo. Outros oito cogitam aderir ao grupo arregimentado pelo governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT).

É nosso também. Os Estados alegam que têm direito a 20% da DRU, o que lhes garantiria uma receita adicional de R$ 20 bilhões relativos apenas a 2017.

CLICK. O presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), curtiu post do Senado no Twitter que divulgou a aprovação de projeto que obriga presos a pagarem as suas despesas. O PP tem 21 deputados investigados na Operação Lava Jato, incluindo o próprio Ciro Nogueira.

FOTO: Twitter Senado/reprodução

Da caserna. Na opinião de um integrante do Alto Comando do Exército, faltou visão estratégica ao técnico Tite no jogo-treino contra a Áustria, ontem.

#ficaadica. Segundo o oficial, Tite mostrou jogo demais. Melhor seria seguir o general chinês Sun Tzu, para quem “antes da guerra, deixe que os inimigos conheçam a sua fraqueza, não sua força”.

O Tiro. O ministro Carlos Marun diz que, ao criticar aproximação da base com Ciro Gomes, não se referia a Rodrigo Maia, mas falava de primeiro turno e de Benjamin Steinbruch, do PP.

PRONTO, FALEI! 

Foto: André Dusek/Estadão

“As eleições deste ano representam o confronto entre a radicalização e bom senso. Espero que ganhe o equilíbrio”, sobre o cenário eleitoral.

COM NAIRA TRINDADE. COLABORARAM PEDRO VENCESLAU E ROBERTO GODOY

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão