Chefe da Casa Civil de MG não é encontrado pela PF

Coluna do Estadão

23 de setembro de 2016 | 08h42

A Polícia Federal esteve na casa dos dois alvos na Operação Acrônimo nesta sexta-feira, 23, em Belo Horizonte, para cumprir mandados judiciais, mas não os encontrou. Tanto o secretário da Casa Civil de Minas Gerais, Marco Antônio Rezende, quanto o presidente da Companhia de Tecnologia da Informação de Minas (Prodemge), Paulo de Moura, estavam viajando.

Rezende está de férias nos Estados Unidos até o dia 29. Já Moura embarcou para o Rio de Janeiro no Aeroporto de Confins, às 6h15. Ao saber da operação, já na capital fluminense, avisou que retornaria a BH.

A defesa de ambos esteve na Superintendência da PF em Minas para avisar sobre as viagens. Os depoimentos serão reagendados.
(Fábio Fabini)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.