Chefe da Casa Civil de MG não é encontrado pela PF

Coluna do Estadão

23 de setembro de 2016 | 08h42

A Polícia Federal esteve na casa dos dois alvos na Operação Acrônimo nesta sexta-feira, 23, em Belo Horizonte, para cumprir mandados judiciais, mas não os encontrou. Tanto o secretário da Casa Civil de Minas Gerais, Marco Antônio Rezende, quanto o presidente da Companhia de Tecnologia da Informação de Minas (Prodemge), Paulo de Moura, estavam viajando.

Rezende está de férias nos Estados Unidos até o dia 29. Já Moura embarcou para o Rio de Janeiro no Aeroporto de Confins, às 6h15. Ao saber da operação, já na capital fluminense, avisou que retornaria a BH.

A defesa de ambos esteve na Superintendência da PF em Minas para avisar sobre as viagens. Os depoimentos serão reagendados.
(Fábio Fabini)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: