Relator retira texto da PEC da segunda instância após manobra do Centrão em comissão especial

Camila Turtelli

Atualizamos nossa política de cookies

Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.

O deputado federal Fabio Trad, relator do texto sobre a prisão após condenação em segunda instância. FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA DOS DEPUTADOS

O deputado federal Fabio Trad (PSD-MS) retirou seu relatório da PEC da prisão em segunda instância na comissão especial sobre o tema na Câmara após uma manobra capitaneada por líderes do Centrão contra a proposta.

Partidos realizaram mais de 15 trocas de deputados favoráveis à PEC. Saíram os simpáticos ao texto, entraram os que são contra.

“(A retirada do relatório é) para evitar que a manobra das substituições repentinas sepultasse o trabalho de dois anos dos membros que foram surpreendentemente afastados”, disse Trad à Coluna.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O troca-troca foi apelidado de “operação abafa” nos bastidores, pois foi visto como uma manobra para derrubar a PEC.

O PL de Jair Bolsonaro, por exemplo, substituiu o deputado Pastor Gil (MA) por Júnior Mano (CE). Houve trocas também no Republicanos e Progressistas. Fora do Centrão, PDT, PSB, PT, DEM e Solidariedade também mudaram integrantes

A comissão deveria ter votado na terça-feira passada, 7, com expectativa de aprovação.

O deputado federal Fabio Trad, relator do texto sobre a prisão após condenação em segunda instância. FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA DOS DEPUTADOS

O deputado federal Fabio Trad (PSD-MS) retirou seu relatório da PEC da prisão em segunda instância na comissão especial sobre o tema na Câmara após uma manobra capitaneada por líderes do Centrão contra a proposta.

Partidos realizaram mais de 15 trocas de deputados favoráveis à PEC. Saíram os simpáticos ao texto, entraram os que são contra.

“(A retirada do relatório é) para evitar que a manobra das substituições repentinas sepultasse o trabalho de dois anos dos membros que foram surpreendentemente afastados”, disse Trad à Coluna.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O troca-troca foi apelidado de “operação abafa” nos bastidores, pois foi visto como uma manobra para derrubar a PEC.

O PL de Jair Bolsonaro, por exemplo, substituiu o deputado Pastor Gil (MA) por Júnior Mano (CE). Houve trocas também no Republicanos e Progressistas. Fora do Centrão, PDT, PSB, PT, DEM e Solidariedade também mudaram integrantes

A comissão deveria ter votado na terça-feira passada, 7, com expectativa de aprovação.

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato