Celso Russomanno e a agenda de Bolsonaro

Celso Russomanno e a agenda de Bolsonaro

Coluna do Estadão

15 de setembro de 2020 | 05h00

Foto: Alex Silva/Estadão

Jair Bolsonaro apresentou uma agenda básica a Celso Russomanno para a eleição na capital paulista. O presidente gostaria de ver o deputado do Republicanos, se ele mantiver a decisão da candidatura (antecipada pela Coluna), defendendo bandeiras do “bolsonarismo 2.0” na campanha. A receita eleitoral inclui discurso forte na segurança, na linha “bandido bom é bandido morto”, nos costumes, na defesa da “família” (contra o aborto, por exemplo) e pancada na “esquerda”, com o centro, claro, incluído, nos “comunistas” e nos “traidores do Bolsonaro”.

Vá… Estrategistas de Bolsonaro têm dito a Russomanno que, se adotar essa agenda, ele pode se considerar no segundo turno. Ah, também tem sido aconselhado a atacar a imprensa profissional e focar a campanha nas redes sociais.

…por mim. Se Russomanno topar, centrará fogo em Boulos, Jilmar Tatto, Márcio França e Bruno Covas pela esquerda e em Joice Hasselmann, ex-aliada do presidente, pela direita.

Ainda dá? A prioridade do Republicanos é oferecer a vice de Russomanno para uma composição com outro partido. Chapa pura, só se não tiver acordo mesmo. O problema é que há poucas opções disponíveis na praça nesta reta final das convenções partidárias.

Alvo. A confirmação de mais uma candidatura Russomanno complica a vida de Covas no primeiro turno. A tendência é de que ele seja alvo de quase todos os candidatos, incluindo Andrea Matarazzo (PSD) e Filipe Sabará (Novo), críticos da administração do tucano na capital.

Alvo 2. Por falar em Bruno Covas, o prefeito tem apanhado (de mata-mosquitos) nas redes sociais da zona oeste paulistana, tradicional reduto do PSDB. A região sofre com a infestação dos pernilongos oriundos do Rio Pinheiros.

SINAIS PARTICULARES.
Bruno Covas, prefeito de São Paulo

Ilustração: Kleber Sales

Fechou. Marco DiPreto, jornalista e ativista do movimento negro, será o vice de Marina Helou em São Paulo. A Rede terá chapa pura na capital. Ele é porta-voz do partido no qual milita desde a fundação e foi membro do Conselho da Comunidade Negra do Estado e da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial.

Caçada. O Movimento Popular Socialista do PSB enviou comunicado a todos os filiados do partido orientando que eles façam uma caçada a bolsonaristas dentro da legenda e os denunciem à direção partidária.

Caçada 2. “Fiquem atentos a qualquer desvio político de qualquer candidato a vereador, vice-prefeito e prefeito em qualquer município do País ou a qualquer declaração de apoio a esse governo assassino por parte de qualquer candidato do PSB”, diz a nota.

Genérico. De acordo com o secretário do MPS, Acilino Ribeiro, a nota não é dirigida a nenhum candidato em específico, mas aos “grotões do País”.

CLICK. O movimento DireitosJá! faz novo ato virtual pela democracia hoje (15/09), às 18h, com a participação, entre outros, do pensador português Boaventura de Sousa Santos.

Coluna do Estadão

Transição. A Secretaria de Governo da Presidência lança amanhã (16/09) o Guia do Prefeito Mais Brasil com informações para as atuais administrações sobre como deixar a casa arrumada para os substitutos.

Histórico. O documento foi produzido pela Secretaria Especial de Assuntos Federativos da Segov, terá mais de 70 páginas, contou com a colaboração de outros órgãos do governo e é distribuído a todas as prefeituras nos anos de eleição.

Boa gestão. De acordo com a SEAF, as orientações são gerais e específicas para os gestores, não beneficiam nenhum candidato ou partido político e visam a “garantia do direito da população à continuidade dos serviços públicos”.

PRONTO, FALEI!

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Marco Feliciano, deputado federal (Republicanos-SP): “A Receita, sob administração petista, forçou uma interpretação maluca da lei para perseguir as religiões cristãs por meio de tributação ilegal.”

COM ALBERTO BOMBIG E MARIANA HAUBERT. 

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: