Carla Zambelli deixa grupo de trabalho do pacote anticrime em ‘protesto’: ‘Estão desconfigurando’

Carla Zambelli deixa grupo de trabalho do pacote anticrime em ‘protesto’: ‘Estão desconfigurando’

Marianna Holanda

19 de setembro de 2019 | 13h06

Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Na reta final do grupo de trabalho na Câmara que analisa o pacote anticrime, a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) disse que ele está sendo “desconfigurado” pelo colegiado e chegou a se retirar do colegiado, em um ato de “protesto”.

O governo tem perdido em vários pontos importantes, como o chamado plea bargain. Outro, o que institui o juiz de garantia, ao qual governistas são contrários, pode ser votado hoje. Excludente de ilicitude, idem. 

“Estão se aproveitando do fato de que conseguiram maioria para desconfigurar o pacote. Dar meu voto simplesmente é mostrar que estamos perdendo. Saio em protesto”, afirmou a deputada à Coluna.

O relator do pacote, Capitão Augusto (PL-SP), da tropa-de-choque de Sérgio Moro, vem reclamando há duas semanas da ausência dos governistas na comissão, entre eles, Carla. Ele diz que está sozinho brigando pelo pacote.

Segundo a deputada, as ausências dos governistas não foi combinada. Só a sua saída do grupo de trabalho hoje que foi coordenada. Ela se reúne com outros deputados do PSL agora para definir uma estratégia: quer que o relatório do Capitão Augusto também vá a plenário.

“A gente ganhou a maioria aqui no debate, que foi sempre técnico. Todo mundo trouxe seus especialistas. Sair da discussão porque está perdendo é de um autoritarismo infantil imenso”, disse Marcelo Freixo (PSOL-RJ).

Como a Coluna mostrou mais cedo, o pacote deve ser votado até a próxima terça-feira no grupo de trabalho. A expectativa no plenário da Câmara é outubro. Acompanhe a transmissão ao vivo:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.